GOIÁS - O Tribunal Regional do Trabalho de Goiás determinou nesta sexta-feira que a ex-secretária de uma mecânica em Goiânia, que foi queimada com um ferro pelo gerente, deverá receber uma indenização no valor de R$ 38 mil. A funcionária teve a marca da empresa HL queimada no ombro. Nesse momento, segundo a Justiça, o gerente ainda teria dito à secretária que ¿vaca se marca aqui¿.

Em sua decisão, o juiz Platon Teixeira de Azevedo Neto, da 8ª Vara do Trabalho de Goiânia, condenou a empresa a pagar R$ 30 mil por danos morais, R$ 5 mil por danos estéticos e R$ 3 mil por danos materiais.

Segundo a Justiça, o gerente brincava com um ferro de marcar pneus e marcou a funcionária nas costas, deixando as marcas no ombro esquerdo. A empresa, em sua defesa, alegou que não é responsável pelo fato e que o ocorrido não tem relação com a atividade comercial que o acusado exercia.

Para o juiz, o ato praticado foi bárbaro e "gerou danos físicos e psíquicos inegáveis à trabalhadora". Segundo ele, a empresa é responsável pelo caso. "O gerente praticou o fato enquanto estava sob o poder diretivo do empregador, dentro do ambiente de trabalho".

Leia mais sobre: violência

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.