Secretaria do Verde aprova projeto de Nova Marginal

O projeto conjunto do governo do Estado e da Prefeitura de São Paulo para a ampliação das pistas da Marginal do Tietê deu mais um passo ontem: ganhou o sinal verde da Secretaria Municipal de Verde e Meio Ambiente (SVMA), que aprovou o Estudo de Impacto Ambiental (EIA-Rima) da obra. A remodelação viária da Marginal - que prevê a construção de novas pistas em 15 dos 24 quilômetros, chegando, em alguns trechos, a até 11 faixas em cada sentido - deverá garantir redução de até 12% nos congestionamentos e de 40% no tempo de viagem, além de reduzir os acidentes à metade.

Agência Estado |

As obras, cuja licitação foi bloqueada duas vezes pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e reaberta em janeiro, devem começar ainda neste semestre.

Na resolução que aprovou a parte ambiental da obra, a SVMA fez uma série de exigências. Obrigatoriamente, deverá ser desenvolvido um plano de plantio compensatório de árvores, de modo a formar um maciço verde permanente ao longo de toda a Marginal. A secretaria estima uma perda de 288 mil m² de áreas permeáveis de solo com a obra. Para não aumentar o risco de enchentes, as novas calçadas deverão possuir vegetação e projeto paisagístico próprio. As empreiteiras deverão detalhar as medidas de drenagem contra pontos de alagamento e avaliar o impacto nas poluições do ar e sonora, com propostas para solução. Também será obrigatória a requalificação da iluminação e das travessias para pedestres e ciclistas.

A construção da Nova Marginal será feita em dois lotes - o primeiro vai do Viaduto da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) até a Ponte das Bandeiras (incluindo o Complexo Viário da Avenida do Estado com a Avenida Santos Dumont), e o outro, da Ponte das Bandeiras até a Rua Ulisses Cruz. As obras custarão de R$ 560 milhões a R$ 700 milhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG