Secretaria de Saúde alerta para cuidados com alimentos e água em Santa Catarina

BRASÍLIA - A Secretaria de Estado de Saúde de Santa Catarina alerta para os cuidados que a população deve ter com os alimentos, a água e a limpeza das residências assim que a água começar a baixar. A orientação é não consumir qualquer alimento que ficou submerso ou umedecido, mesmo que esteja em embalagem de plástico ou em lata.

Agência Brasil |

Caso tenha faltado energia elétrica na residência, também não devem ser consumidos os alimentos que estavam em geladeira, ainda que não tenham entrado em contato com a água da chuva. Também não devem ser consumidos produtos que apresentarem alterações de cor, de odor ou de consistência.

A secretaria alerta que a ingestão de água contaminada provoca riscos de hepatite A e de diarréias. Por isso, moradores de casas abastecidas pelo sistema público devem entrar em contato com a empresa responsável pela distribuição, caso observem alguma alteração na água que sai das torneiras.

Outra orientação é evitar contato com a lama depositada nas ruas pela enxurrada,  por causa do risco de infecções. O ideal é usar sempre luvas e botas de borracha para os serviços de limpeza da casa. É necessário limpar e desinfectar os reservatórios de água mesmo que eles não tenham sido atingidos pela chuva.

Sobre a leptospirose, transmitida por roedores domésticos, a secretaria alerta que o período de incubação da doença pode variar de um a 30 dias a partir do contato com o agente infeccioso. A população catarinense deve ficar atenta a sintomas como febre alta, dor de cabeça e dores musculares. Em quadros mais graves, pode haver coloração amarelada da pele e das mucosas, insuficiência renal, hemorragias e alterações neurológicas que podem levar à morte.

A população deve ter cuidado especial durante a remoção de entulhos e do lixo doméstico, diante da possibilidade de encontrar animais peçonhentos como aranhas, cobras e escorpiões, que com as enchentes são retirados de seus habitats. A orientação é sacudir roupas, sapatos e colchões antes de usá-los, além de não andar descalço. Em caso de ataques de um desses animais, a pessoa deve aguardar por socorro deitada, para diminuir a absorção do veneno. Parentes e amigos não devem tentar extrair o veneno nem amarrar o local afetado.

Moradores tentam salvar o que sobrou; assista

Leia também:

Leia mais sobre: chuvas em Santa Catarina 

    Leia tudo sobre: enchentesanta catarina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG