O nível do Sistema Cantareira passou de 11,1% na sexta-feira (27) para 11,7% nesta segunda-feira (2)

Segundo dados da Companhia Estadual de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), em fevereiro choveu 322,4 milímetros (mm) – acima da média histórica para o mês, que é 199,1mm. A última vez que houve tanta precipitação foi em fevereiro de 1995, quando choveu 388 mm.

Nesta segunda feira, o nível do Sistema Cantareira subiu para 11,7%. Com a medida, o sistema chegou ao nível original da 2ª cota do volume morto, que passou a ser explorada em outubro de 2014.

Embora as precipitações de fevereiro tenham atenuado a crise hídrica, o diretor metropolitano da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Paulo Massato, avaliou que ainda é cedo para definir a adoção de um racionamento rígido.

Durante sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal de São Paulo, na última quarta-feira (25), ele informou que é preciso esperar o término do período de chuvas, que, normalmente, se estende até o final de março.

No Alto Tietê, o nível subiu de 18,3% para 18,8%. Em março, choveu 20,8 mm e a média histórica é 172,4 mm. No Guarapiranga, o nível também subiu ao passar de 60,1% para 62,3%, com 36,4 mm de precipitação nos dois primeiros dias de março (média para o mês de 153,2mm). No Sistema Rio Grande, o nível passou de 83,1% para 85,7%. A chuva na região no início deste mês soma 75,4 mm e a média é 186,3 mm.

No Sistema Alto Cotia, os números passaram de 38,6% da capacidade em 27 de fevereiro para 40,9%. Em março, já choveu 7,2 mm e a média histórica é 149,1 mm. Os dados indicam ainda que, no Sistema Rio Claro, o nível subiu de 35,8% em 27 de fevereiro para 38,3%, com 70,6 mm de chuva nos primeiros dias de do mês e média de precipitação de 245,9mm.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.