Schering indenizará consumidora que engravidou com pílula de farinha

BRASÍLIA - A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) condenou ontem o Laboratório Schering do Brasil Química e Farmacêutica Ltda a pagar indenização no valor de R$ 70 mil, por danos morais, a uma consumidora que engravidou utilizando o anticoncepcional Microvlar, que ficou conhecido como pílula de farinha. De acordo com o STJ, a Terceira Turma não atendeu ao recurso da empresa e manteve a decisão de segunda instância que responsabilizou a empresa pela gravidez.

Agência Estado |

As pílulas de farinha resultaram da fabricação de pílulas apenas para o teste de uma máquina embaladora do laboratório, mas que acabaram chegando ao mercado para consumo. A Justiça entendeu que a empresa foi negligente no descarte dos materiais que não deveriam ter chegado aos consumidores, mesmo que sem intenção. O episódio aconteceu em 1998. As informações são do Jornal da Tarde .

Leia mais sobre: anticoncepcional

    Leia tudo sobre: anticoncepcionais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG