SC terá até maio sistema para evitar desastre, diz governador

Cerca de 900 mil pessoas de 60 municípios foram afetadas pelas chuvas. Entre eles, 38 decretaram situação de emergência

AE |

selo

Sem dar detalhes do projeto ou modelo, o governador Raimundo Colombo (DEM) afirmou, antes de embarcar nesta segunda-feira para um sobrevoo na cidade de Mirim Doce (SC), no alto Vale do Itajaí, única a decretar estado de calamidade pública devido as chuvas dos últimos dias, que até maio Santa Catarina terá um sistema para evitar catástrofes de origem climática.

Segundo seus assessores, o modelo ainda está em estudo e vai usar tecnologia japonesa. Desastres, como o que ocorreu em 2008, quando 137 pessoas morreram devido a chuvas, poderão ser evitados com a aplicação do projeto, conforme declarou Raimundo Colombo.

O predomínio de fortes chuvas nos últimos cinco dias em Santa Catarina já causou a morte de cinco pessoas, entre elas duas crianças: uma de oito anos, em Florianópolis e outra de três meses em Massaranduba. A turista italiana Valéria Biavaschi, de 40 anos, também está entre as vítimas. Ela ocupava um veículo que foi arrastado pela correnteza quando passava por uma ponte no bairro Vargem Grande, em Florianópolis. "A situação ficou complicada no fim de semana, mas já está ficando sob controle", afirmou o governador.

Cerca de 900 mil pessoas de 60 municípios - 38 dos quais decretaram situação de emergência - foram afetadas pelas chuvas. Joinville está entre as cidades com o maior número de pessoas afetadas: 150 mil. Florianópolis contabiliza 200 mil pessoas.

Conforme relatório da Defesa Civil do Estado, 21 mil pessoas estão desalojadas (em casas de parentes ou amigos) e outras 1,8 mil desabrigadas (em abrigos públicos). O município de Mirim Doce, com cerca de 2,5 mil habitantes, decretou no domingo estado de calamidade pública. O rio Taió, que corta o município, subiu seis metros e destruiu parte da cidade causando grande prejuízo econômico.

A chuva causou vários danos nas rodovias catarinenses e muitas ficaram interditadas nos últimos dias. A BR-101, na altura do Morro dos Cavalos, na Grande Florianópolis, ficou 14 horas interditada por causa de um deslizamento de terra. O trecho foi desobstruído apenas no início da tarde de ontem. A única rodovia estadual interditada até o final da tarde de hoje é a SC 416, do km 92 a 93 no Norte do Estado devido a queda de barreira. Máquinas se mantinham na pista retirando o volume de material até o final da tarde de hoje.

    Leia tudo sobre: santa catarinadesastresequipamentoalerta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG