Saúde tem déficit de R$ 5,5 bilhões, segundo Conass

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde precisará de um crédito suplementar de R$ 5,5 bilhões para o setor terminar o ano com fôlego, afirmou nesta quarta-feira o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Osmar Terra, em audiência pública na Comissão de Seguridade Social da Câmara dos Deputados.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Terra aponta que o Orçamento da Saúde previsto para este ano era de R$ 54 bilhões. Até o início deste mês, porém, apenas R$ 48 bilhões haviam sido liberados pela União. Para 2009, devido à crise financeira internacional, o cenário pode ser ainda mais pessimista, segundo o presidente do Conass. 

Quando formos discutir a crise, vocês vão ver que a primeira área a perder é a Saúde. Os bancos não podem quebrar, não pode falar liquidez no mercado, as estradas não podem parar, então se preserva o PAC. E a Saúde, onde fica nisso aí?, questiona.

Para a Secretaria Executiva do Ministério da Saúde, Márcia Bassit Mazzoli, o problema do orçamento é um pouco menor. Para não apagar as luzes, eu preciso pelo menos de R$ 1,85 bilhão até dezembro, disse.

Caso esse montante mínimo de R$ 1,85 bilhão não seja repassado à Saúde até dezembro, segundo Osmar Terra, os serviços e a demanda nos hospitais públicos por todo o País e o Sistema Único de Saúde (SUS) poderão ser prejudicados.

    Leia tudo sobre: saúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG