Satiagraha: ACM Junior quer pedir explicações a Genro

O senador Antonio Carlos Magalhães Junior (DEM-BA) disse ontem que vai exigir explicações do ministro da Justiça, Tarso Genro, para a inclusão de seu nome em um organograma elaborado pela Polícia Federal nas investigações da Operação Satiagraha. Em nota divulgada pela sua assessoria, o senador afirma que em momento algum teve nenhum tipo de relação com o banqueiro Daniel Dantas, sócio-fundador do Grupo Opportunity.

Agência Estado |

Se necessário, diz ainda o texto, ACM Junior, que se diz "indignado", vai acionar a Justiça "para que essa situação seja esclarecida de uma vez por todas". O organograma, publicado ontem, revela, segundo as investigações da PF, que Dantas montou uma rede de influências para ter acesso a áreas importantes do governo e do Congresso.

O quadro Agentes Públicos e Políticos Associados - diretamente ligado ao banqueiro baiano, descrito como "big boss" (chefão) - traz, além de ACM Junior, os nomes do ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, do senador Heráclito Fortes (DEM-PI), do ex-presidente do Banco do Brasil, Cássio Casseb, de um antigo diretor de Inteligência da Receita Federal, Deomar Vasconcelos Moraes, de um gerente da Caixa Econômica em São Paulo, Mauro Osawa, e de Nivaldo Costa, do Serviço de Processamento de Dados do governo federal (Serpro). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: operação satiagraha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG