Sarney quer abrir notas de verba indenizatória no Senado

BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse nesta terça-feira que vai reunir a Mesa Diretora da Casa, depois do carnaval, para estudar uma maneira de dar transparência às notas fiscais com gastos da verba indenizatória dos senadores. A declaração foi dada após o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), anunciar que em cerca de 45 dias as notas dos deputados vão estar na internet.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

A verba indenizatória na Câmara e no Senado é de R$ 15 mil mensais. O recurso pode ser usado para pagar consultores, aluguéis, combustíveis, divulgação da atividade parlamentar, entre outros gastos.

Apesar da Câmara e do Senado informar pela internet quanto cada parlamentar gastou em cada rubrica ¿ por exemplo: R$ 3 mil com combustíveis ¿ é impossível saber em que empresa e de que maneira o gasto foi feito.

A discussão das notas fiscais voltou a tona devido ao deputado Edmar Moreira (sem partido-MG), que renunciou à 2ª Vice-Presidência da Câmara. Entre as suspeitas que pesaram contra o parlamentar, consta a de ter usado a verba indenizatória em empresas de segurança de sua propriedade.

"Vou levar esse assunto à Mesa depois do carnaval. Minha posição é que não devemos ter nada a esconder", disse Sarney.

Leia mais sobre: verba indenizatória

    Leia tudo sobre: verba indenizatória

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG