Sarney promete ponto eletrônico para controlar hora extra no Senado

BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse nesta quinta-feira que a Casa vai implantar um sistema de ponto eletrônico para controlar as horas extras dos funcionários. A questão veio à tona após divulgação que mais de três mil servidores receberam valores adicionais referentes ao mês de janeiro, quando há recesso no parlamento, o que gerou um gasto suplementar de R$ 6,2 milhões.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Agência Senado
Sarney em entrevista nesta quinta
Eu acho que uma coisa que já está praticamente decidida é o ponto eletrônico para marcar as horas extras. Eu acho que vai ser imediatamente que nós vamos instalar o ponto eletrônico, disse.

Questionado sobre a falta de transparência nas contas e decisões administrativas do Senado, visto que não fosse a atuação da imprensa somente os beneficiários das horas extras saberiam do gasto público que o próprio Sarney taxou de absurdo, o presidente alegou que não há Casa mais aberta.

Não tem caixa preta nenhuma, não há Casa mais aberta. Todas as nossas decisões são tomadas à luz do dia. Há uma diferença muito grande entre o Poder Legislativo, o Poder Executivo e o Judiciário, porque as nossas decisões são públicas. E é por isso que nós sofremos essa crítica permanente, porque somos sujeitos à fiscalização diária, alegou.

Leia também:

  • Câmara gasta R$ 4,7 milhões com hora extra desde fevereiro
  • Tem informação sobre pagamento de hora extra? Envie ao Minha Notícia!

    Leia mais sobre: Senado

    • Leia tudo sobre: senado

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG