Sarney promete enxugar estrutura do Senado

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Jose Sarney (PMDB-AP), disse nesta terça-feira que vai contratar a Fundação Getúlio Vargas (FGV), e outras instituições para fazer um estudo sobre a estrutura da Casa. O objetivo é enxugar a máquina administrativa, que em cerca de seis anos teve um crescimento exponencial no número de secretarias e sub-secretarias. Vamos fazer uma grande reforma, disse.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Em coletiva à imprensa, Sarney ainda anunciou que já chegou aos números para cumprir sai meta de redução de 10% no orçamento de custeio e investimento do Senado. De acordo com ele, a economia vai chegar aos R$ 51 milhões.

Os cortes são de R$ 37,8 milhões em novas aquisições e contratações, R$ 6 milhões com novas obras, R$ 4,5 milhões na gráfica do Senado, R$ 1,5 milhão com diárias e passagens e R$ 1,2 milhão com telefone.

Empréstimos

Sarney assinou, nesta terça, um decreto sobre o credenciamento de bancos para operar crédito consignado para os servidores da Casa. De acordo com o documento, só vai poder operar no Senado as instituições que cobrarem de taxa de juros mensal o máximo de 1,6%.

De acordo com ele, essa é "uma pequena contribuição" para amenizar a crise financeira. E ele espera que o exemplo seja "adotado por outros órgão públicos". No Senado, são descontados, devido a empréstimos, cerca de R$ 12,5 milhões ao mês na folha de pagamentos dos servidores.

    Leia tudo sobre: senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG