BRASÍLIA - O líder do DEM no Senado, Agripino Maia (RN), disse nesta quarta-feira, após o discurso do presidente José Sarney (PMDB-AP), que o peemedebista fez um ¿voo de pássaro¿ sobre as denúncias, e que não convenceu os senadores de sua inocência nos pedidos de investigação que tramitam no Conselho de Ética da Casa.

Ele fez um discurso que relembrou sua vida, mas fez um voo de pássaro sobre as acusações, não foi convincente em nenhum dos pontos. As acusações, como a de seu neto operando crédito consignado no Senado precisam ser esclarecidas com a presença do contraditório, disse.

Agripino disse ainda não acreditar que a paz vai voltar a reinar no plenário da Casa. Segundo ele, o Conselho de Ética vai contaminar os trabalhos legislativos. Além disso, Agripino disse que apesar da boa relação que tem com o presidente não pode deixar que nenhuma das denúncias contra ele sejam amenizadas.

Ele me pediu para agir com o coração, eu bem que gostaria, mas preciso usar a razão.

Leia mais sobre crise no Senado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.