Sarney fará o que for melhor para o Brasil, afirma Roseana

BRASÍLIA - Na opinião da governadora do Maranhão, Roseana Sarney, a responsabilidade pela crise enfrentada pelo Senado é de todos os senadores e não unicamente do seu pai, o presidente do Senado, José Sarney. Ao deixar a residência do pai, no momento em que Sarney recebia os senadores Aloizio Mercadante (PT-SP), líder do PT, Ideli Salvatti (PT-SC), líder do governo no Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), líder do PMDB, e outros parlamentares, ela afirmou que Sarney fará o que for melhor para o Brasil.

Valor Online |

A pergunta mais frequente dos jornalistas era sobre a possibilidade de Sarney renunciar ainda hoje ao cargo do presidente do Senado. Roseana sublinhou que essa decisão será exclusiva do pai, que seguramente tomará a decisão correta, com o apoio de toda a família.

"Ele tem maturidade, experiência, sabe o que faz e é um homem importante para o Senado e para o Brasil. Acho que ele vai tomar a decisão correta. Vai fazer o que achar melhor para o Brasil Ele sempre teve em mente que a coisa maior é o Brasil, não ele. E a responsabilidade é de todos. Dizem no Maranhão que dance quem dance, quem dá pulo é o José. Está acontecendo mais uma vez isso. Quem dá pulo é o José, que é quem está sendo responsabilizado por tudo", frisou.

Ela também afirmou que seu pai está sendo bode expiatório na crise que atinge a imagem da instituição. No entender de Roseana, a responsabilidade pelas irregularidades apontadas no Senado é de todos, inclusive dela, que foi senadora antes de se afastar para assumir o governo do Maranhão.

Ao deixar a residência de Sarney, Renan Calheiros também foi indagado sobre a possibilidade de renúncia. Renan respondeu que não existe nenhum fato novo que justifique a saída do presidente do Senado. O líder peemedebista negou que Sarney esteja esperando que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva retorne da Líbia para anunciar sua decisão.

O líder Aloizio Mercadante anunciou que, ainda na tarde desta quarta-feira, seu partido anunciará a decisão tomada depois da conversa com Sarney.

(Agência Senado)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG