Sarney e Temer reclamam de excesso de MPs com Lula

BRASÍLIA (Reuters) - Em encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), afirmou que vai trabalhar para alterar o rito das medidas provisórias no Congresso, consideradas excessivas. É inaceitável que o modelo das MPs fique da maneira como está porque é importante mudar esse sistema para aprofundar a democracia. Esse modelo chegou ao fim, disse Sarney após a reunião de cortesia.

Reuters |

Segundo o senador, Lula concordou que há um exagero nas medidas provisórias e quer encontrar uma solução para o assunto.

O excesso de MPs também foi tema da conversa do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), com Lula, recebido após Sarney. Foi o primeiro encontro dos dois representantes do Congresso, eleitos há dois dias, com Lula.

"Reiterei que o ideal seria que nós conversássemos até sobre o conteúdo das MPs antes de serem trazidas para cá. Espero estar no caminho que foi pré-traçado aqui, que é tentar diminuir o ritmo de edição de MPs", afirmou Temer, que sugere projetos de lei com regime urgente de votação no lugar das MPs.

Medidas provisórias são ato do Executivo com poder de entrar em vigor antes mesmo de serem apreciadas pelo Congresso. Para isso, deveriam, de acordo com a Constituição, se enquadrar em situações de urgência e relevância, o que nem sempre é respeitado, segundo os parlamentares.

Para o novo presidente do Senado, as reforma tributária e política são "prioridade absoluta".

(Reportagem Fernando Exman e Ana Paula Paiva; Edição de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG