Sarney diz que recebeu auxílio-moradia indevidamente por erro da administração

BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), admitiu nesta quinta-feira ter recebido auxílio-moradia do Senado no valor de R$ 3,8 mil mensais, apesar de ter residência própria em Brasília, o que é irregular segundo as regras do regimento interno do parlamento.

Carol Pires, repórter em Brasília |

Sarney anunciou, porém, que irá devolver o dinheiro recebido pelo Senado. O mesmo deverá ser feito pelos senadores João Pedro (PT-AM), Cícero Lucena (PSDB-PB) e Gilberto Gollner (DEM-MT), que também receberam auxílio-moradia mesmo morando em apartamentos funcionais disponibilizados pela Casa.  

Em reunião da Mesa Diretora na manhã desta quinta-feira, os dirigentes do Senado também decidiram elaborar um ato para regulamentar o pagamento de auxílio-moradia aos parlamentares. O assunto surgiu após reportagem do jornal Folha de S.Paulo revelar que 42 senadores recebem o benefício apesar do Senado ter regulamentação sobre o assunto.  

Os senadores que recebem a cota, porém, não precisarão ressarcir os cofres públicos. Acredito ter havido um lapso, porque antes de surgir Brasilia já existia o auxiílio-moradia, justificou o terceiro-secretário da Mesa Diretora, senador Mão Santa (PI).

Desculpas

No início desta semana, o presidente José Sarney havia negado o recebimento do auxílio-moradia. Nesta quinta-feira, porém, ele se justificou pela informação, pois, segundo ele, o erro deve ter sido da administração do Senado. 

Quero pedir desculpas pela informação errada que eu dei. Eu nunca pedi auxílio-moradia, mas por um equívoco, a partir de 2008, me informaram que realmente estava sendo depositado na minha conta o auxílio-moradia. Eu já mandei retirar isso, afirmou Sarney.

Leia mais sobre: auxílio-moradia

    Leia tudo sobre: sarney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG