Sarney defende divulgação de notas fiscais de senadores

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), defendeu hoje a divulgação das notas fiscais dos parlamentares para justificar os gastos com a verba indenizatória. Por mês, deputados e senadores têm direito a R$ 15 mil para gastos administrativos e nos Estados.

Agência Estado |

O peemedebista afirmou que vai apresentar a proposta por mais transparência na Casa na próxima reunião da Mesa Diretora, depois do feriado do carnaval. "Essa é uma decisão coletiva que eu vou levar à Mesa na próxima reunião. A minha posição é a de que não temos nada a esconder", disse.

A sinalização de Sarney vai na mesma direção da decisão da Câmara dos Deputados, que se comprometeu, em 45 dias, a divulgar no site da Casa os dados detalhados das notas fiscais apresentadas pelos parlamentares. Atualmente, o Senado disponibiliza em seu site apenas informações genéricas em relação aos gastos com 81 senadores.

Também hoje, Sarney assinou um ato para corte de despesas no Senado. Ele bloqueou 300 ramais telefônicos - das 3.000 mil linhas que a Casa possui - para a realização de chamadas interurbanas. Ao anunciar a redução, ele fez um balanço dos cortes que estão sendo executados. A promessa é reduzir em 10% os gastos de custeio, chegando a uma economia de R$ 51 milhões.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG