BRASÍLIA - A assessoria do senador José Sarney (PMDB-AP) disse que o discurso em plenário marcado pelo parlamentar para a tarde desta terça-feira foi adiado para esta quarta-feira. Sem explicar os motivos que levaram ao adiamento, a assessoria disse apenas que ¿uma análise de conjuntura foi feita pelo presidente, que preferiu deixar para amanhã [quarta] o discurso¿.

AE
Sarney chega ao Senado nesta terça-feira
Nos bastidores há a avaliação que o presidente aguarda novos lances da oposição, uma vez que PSDB e DEM reuniram suas bancadas para traçar estratégias e encaminhar ações contra Sarney. O presidente ainda estaria no aguardo da possível inclusão do PSB e do PT no bloco formado por DEM, PSDB e PDT apelidado de frente pela dignidade pelo líder tucano Arthur Virgílio (AM).

Apesar do adiamento do discurso de Sarney, há a expectativa de que o senador Pedro Simon (PMDB-RS), defensor da renúncia do presidente do Senado, vá à tribuna rebater ameaças feitas nesta segunda-feira pelo líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), e Fernando Collor (PTB-AL).

Agência Senado
Sarney preside sessão desta terça. Ao seu lado, Fernando Collor.  Fotógrafo: Geraldo Magela - Agência Senado
Sarney preside sessão desta terça-feira; ao seu lado, Fernando Collor

Outro discurso que pode desencadear novo bate-boca no Senado é o de Arthur Virgílio, que nesta segunda-feira não pediu da forma veemente usual o afastamento de Sarney. Caso ele vá à tribuna com um discurso mais endurecido peemedebistas prometem retaliações.

Leia também


Leia mais sobre crise no Senado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.