Sarkozy e Carla Bruni se deparam com protesto no Rio

RIO DE JANEIRO - O presidente francês Nicolas Sarkozy e a primeira-dama Carla Bruni se depararam, nesta segunda-feira, com uma manifestação de parentes de vítimas da violência logo que chegaram a uma casa de espetáculos no Parque do Flamengo, onde assistiram ao show de lançamento do Ano da França no Brasil. Cerca de 20 pessoas vestindo camisas pretas protestaram com apitos e cartazes.

Redação com agências |

AFP
AFP
Sarkozy e Bruni em evento

Num deles se lia "Polícia Mata, Justiça Endossa e Governantes se Omitem. Crime Perfeito". Eles também distribuíram panfletos com números da violência: mais de 16 mil mortes nos últimos dois anos e 10 mil desaparecidos, nos últimos 15 anos.

Sarkozy e Carla viram os manifestantes, mas não passaram próximo a eles. Logo depois da chegada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do governador do Estado, Sérgio Cabral Filho, às 19h30, começou o show com a participação de artistas brasileiros e franceses.

O músico Gilberto Gil, ex-ministro da Cultura, e Charles Aznavour, ícone da "chanson" francesa, foram muito aplaudidos em seus shows.

A homenagem à cultura francesa chega como resposta ao ano do Brasil realizado na França em 2005 e que contou com uma agenda repleta de atividades artísticas e culturais.

Gil participou do evento na ocasião, e nesta segunda-feira, subiu primeiro ao palco da sala Vivo Rio, acompanhado de seu violão. O baiano terminou sua apresentação com uma canção em francês.

A seguir, Aznavour, vestido com sua habitual camisa preta, arrebatou a atenção dos espectadores e os conduziu por várias décadas de seu repertório de canções românticas acompanhado de sua orquestra. Arrancou aplausos com "Mourir d'Aimer", foi acompanhado pelo público no refrão de seu clássico "La Bohème" e se despediu com uma grande ovação.

Para fechar o espetáculo, o músico Lenine cantou um hino ao ano francês no Brasil em forma de rock e dividiu o palco com o francês Arthur H, compositor dessa música.

A cerimônia oficial de abertura do "Ano da França no Brasil" ocorrerá em 21 de abril no Rio de Janeiro, e a de encerramento será realizada 15 de novembro em São Paulo, com um show e uma exposição artística. 

Conselho de Segurança de ONU

O presidente da França defendeu na tarde desta segunda-feira a entrada do Brasil no Conselho Permanente de Segurança das Nações Unidas (ONU). Sarkozy participou do 2º Encontro Empresarial Brasil-UE, no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, em sua última viagem oficial como líder da União Européia.

"Sou sincero quando digo que precisamos de Lula no Conselho Mundial. Alguns líderes europeus não querem, não concordam, mas precisamos do presidente Lula no Conselho Permanente de Segurança da ONU como líder na questão ambiental", afirmou o presidente francês.

Durante o encontro sobre a cooperação entre Brasil e União Européia (UE) em diferentes áreas, incluindo a assessoria na área de defesa para a construção de submarinos, Sarkozy falou também sobre subsídios agrícolas. "Sei que os amigos brasileiros estão preocupados com a agricultura, mas a importação de produtos brasileiros na Europa multiplicou por três", lembrou.

(com informações da Agência Estado e EFE)

Leia também:

Leia mais sobre: Sarkozy no Brasil

    Leia tudo sobre: sarkozyvisita

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG