Sargento Laci vai se desligar do Exército, afirma companheiro

BRASÍLIA - O sargento Laci Araújo, preso desde o último dia 4 de junho por deserção, pretende deixar o Exército após responder processo na Justiça Militar. A principal razão seria a pressão que ele tem sofrido ao assumir publicamente, no mês passado, relacionamento amoroso com o então sargento Fernando Alcântara. Na semana passada, Alcântara pediu o desligamento das Forças Armadas alegando perseguição dentro da instituição.

Carollina Andrade - Último Segundo/Santafé Idéias |

AE
Sargento Laci Araújo, que está preso
Para ele, não há mais possibilidade de Laci permanecer no Exército, mesmo correndo o risco de não conseguir outro emprego devido aos seus problemas de saúde. Já conversamos sobre isso. O Laci vai pedir baixa. Ele precisa sim do dinheiro, mesmo sendo pouco. Ele é doente e quem vai empregar uma pessoa doente? Mas é muita pressão. Não tem condição de continuar, acrescentou o ex-sargento.

Em entrevista para o Portal iG, Alcântara informou que esteve na última terça-feira no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, para visitar o companheiro e ressaltou que ele está preso em uma cela dentro do hospital e não em uma enfermaria de custódia, como disse a juíza da Justiça Militar, Zilah Calado, em audiência na semana passada. O Portal iG entrou em contato com o hospital, mas os setores de relações públicas, vice-presidência e de inteligência não souberam explicar o motivo pelo qual o sargento estaria em uma cela.

Fiquei surpreso quando o vi. Não sabia que existia cela em hospital. Ele está sendo tratado como um criminoso e não como paciente, completou Alcântara. Segundo ele, a equipe médica ainda não iniciou os exames neurológicos e psiquiátricos pedidos pela Justiça para avaliar se Laci poderá obter o benefício da menagem, que permite o cumprimento da detenção em alojamento do quartel. Não há previsão para que os exames aconteçam. Mas, até a realização dos exames e os resultados do mesmo, ele [Laci] ficará no HFA, comemorou, uma vez que a perspectiva era de que Laci ficasse preso nas dependências da Polícia do Exército. Caso o processo não seja julgado em trinta dias, Laci deverá ser solto.

Porém, Fernando ainda teme pela vida do sargento. Ele mesmo estaria sofrendo ameaças do Exército mesmo após ter se desligado. Mas ele [Laci] está nas mãos deles [Exército]. Ele sofre muito lá dentro. Tenho medo que ele sofra, seja torturado, disse.

Leia ainda:


Leia mais sobre: Exército - Homossexualismo

    Leia tudo sobre: homossexualismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG