Advogado do Condepe confirma prisão de segundo sargento gay" / Advogado do Condepe confirma prisão de segundo sargento gay" /

Sargento Figueiredo foi preso por indisciplina, diz Exército

BRASÍLIA ¿ O Comando do Exército informou na tarde desta sexta-feira que a prisão do sargento Fernando de Alcântara Figueiredo, em Brasília, foi um procedimento administrativo por falta de disciplina. A prisão ocorreu oito dias após o sargento Alcântara e seu companheiro, o sargento Laci Marinho de Araújo, terem assumido publicamente um relacionamento homossexual. Araújo está preso desde a semana passada por deserção. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/06/13/advogado_do_condepe_confirma_prisao_de_segundo_sargento_gay_1358851.html target=_topAdvogado do Condepe confirma prisão de segundo sargento gay

Carollina Andrade - Último Segundo/Santafé Idéias |

AE
Exército deu ordem de prisão a Fernando e Laci
Exército deu ordem de prisão a Fernando e Laci
De acordo com o tenente-coronel Walber Coutinho Pinheiro, chefe de comunicação do Comando do Militar do Planalto, o sargento Fernando responde por transgressões disciplinares. Segundo o tenente, o sargento teria viajado a São Paulo sem autorização de seu comandante imediato, além de se apresentar em público sem uniforme do Exército. A prisão do sargento não se trata absolutamente de nenhuma forma de discriminação, ele infringiu regras e por isso foi punido, ressaltou Pinheiro.

O sargento Figueiredo cumprirá prisão administrativa e deverá ser libertado em oito dias. A prisão está prevista no Regulamento Disciplinar do Exército (RDE) que tem por finalidade, além de especificar as transgressões disciplinares, estabelecer normas relativas a punições disciplinares, comportamento militar das praças, recursos e recompensas.

Íntegra da Nota

"Em relação à situação do Sargento FERNANDO ALCÂNTARA DE FIGUEIREDO e cumprindo procedimentos previstos no Regulamento Disciplinar do Exército (RDE) (Decreto-Lei 4346, de 26 de agosto de 2002), plenamente do conhecimento do militar em questão, o seu Comandante imediato determinou a apresentação de suas razões formais de defesa relativas a transgressões disciplinares, praticadas pelo militar e previstas naquele regulamento, tudo em decorrência de sua conduta e envolvimento nos últimos fatos.

O militar apresentou suas razões de defesa, dentro do prazo previsto no regulamento, as quais não foram consideradas suficientes e justificadas por seu Comandante. Em conseqüência disso, após a ampla defesa e oportunidade ao contraditório, o militar foi enquadrado e punido com prisão disciplinar.

O RDE tem por finalidade, além de especificar as transgressões disciplinares, estabelecer normas relativas a punições disciplinares, comportamento militar das praças, recursos e recompensas.

O Exército reafirma que cumpre rigorosamente os instrumentos legais, agindo com impessoalidade e observando os direitos pétreos previstos na Constituição Federal.

SEÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO COMANDO MILITAR DO PLANALTO"

Leia mais sobre: Exército brasileiro

    Leia tudo sobre: exercitoexército

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG