O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, determinou nesta sexta-feira a prisão administrativa, por 72 horas, de um sargento do Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM) acusado de integrar grupo de milicianos que atua na zona oeste da capital. Imagens do circuito interno de segurança de um shopping da região mostram um homem armado com um revólver e uma pistola, andando pelo estacionamento e revistando os carros, supostamente à procura de um inimigo.

Beltrame admitiu que "trata-se" do policial. Outros dois homens que o acompanhavam não haviam sido identificados até o início da noite. As imagens foram gravadas no dia 15. No fim da tarde, o sargento foi preso no 5º Batalhão da PM. Ele é acusado de integrar a milícia autodenominada "Liga da Justiça". Ele seria o "número 2" do grupo fora da prisão, principal aliado do ex-PM Ricardo Teixeira Cruz, o Batman, que fugiu do presídio Bangu 8 em outubro e é acusado de comandar a milícia.

O ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, e o ex-deputado estadual Natalino Guimarães, os "cabeças" do grupo, segundo a secretaria, estão presos.

"A audácia e o abuso (do PM) é algo que indigna. Ele terá que dar explicação e vai responder criminalmente pelo ato", disse Beltrame. O mesmo policial teria sido detido em agosto de 2008 durante a Operação Voto Livre, da Polícia Federal (PF). Na ocasião, também foi presa a então candidata e hoje vereadora Carminha Jerominho, filha de Jerominho.

Leia mais sobre: milícias

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.