Sargento é o 1º indiciado em nova lei contra pedofilia

Um militar da reserva da Marinha foi o primeiro indiciado na lei que pune com mais rigor os crimes de pedofilia na internet, assinada pelo o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na quarta-feira, no Rio. O terceiro-sargento Francisco Luís Dias, de 59 anos, foi flagrado hoje por agentes da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), armado com uma pistola PT-380, em um encontro com uma adolescente de 13 anos.

Agência Estado |

A menina era chantageada há cinco meses por ele para tirar fotos pornográficas. No momento da prisão, Dias foi flagrado com vários vídeos com adolescentes, sendo que alguns protagonizados por ele.

O acusado, que confessou o crime, tem um filho de seis anos e uma filha de 16. Em depoimento à polícia, a adolescente contou que o assédio do pedófilo começou durante as férias de julho. "Ele fez um perfil falso no Orkut e se passou por uma colega minha de escola. Quando recebi filmes pornográficos, estranhei e parei de falar. Ele se identificou como homem, mostrou uma montagem com a minha imagem e começou a me chantagear. Ameaçava mostrar aos meus amigos se eu não encontrasse com ele", revelou a adolescente.

Como a menina não aceitou o encontro, o pedófilo fez um perfil falso dela no Orkut e divulgou uma montagem em vídeo dela com cenas de sexo para os colegas de escola. Hostilizada no colégio, a menina contou a história para a mãe que a orientou a continuar a conversa com o pedófilo e acionou a polícia.

De acordo com o delegado-titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) Fernando Vilapouca, o pedófilo pode pegar até 20 anos de prisão por armazenar e divulgar pedofilia, além de tentativa de atentado violento ao pudor. "Vamos identificar ainda outras dez crianças que aparecem com o acusado nos vídeos apreendidos com ele no momento da prisão em flagrante", afirmou o delegado.

    Leia tudo sobre: pedofilia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG