Saramago admite ter chorado ao ser citado por ex-refém das Farc

Madri, 11 fev (EFE).- O escritor português José Saramago confessa que chorou ao ser citado pelo ex-deputado colombiano Sigifredo López, último refém libertado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), na entrevista coletiva que o ex-sequestrado concedeu ao chegar a Cali.

EFE |

Em seu blog, o Nobel de literatura assegura que começou a chorar quando o político colombiano, para expressar sua gratidão à senadora Piedad Córdoba, principal dirigente do movimento "Colombianos pela Paz", comparou-a com a mulher do médico de "Ensaio sobre a Cegueira".

"Coloquem-se em meu lugar", afirma Saramago no artigo publicado em seu blog no último dia 9, "milhares de quilômetros me separavam daquelas imagens e daquelas palavras e pobre de mim, desfeito em lágrimas, não tive outro remédio além de me refugiar em Pilar (sua mulher) e deixá-las correr".

O escritor reconhece a emoção que foi para ele ouvir as palavras do deputado colombiano. "Toda minha existência de homem e de escritor foi justificada por esse momento", acrescentou.

O texto de Saramago termina com um simples "obrigado, Sigifredo".

EFE ajs/db

    Leia tudo sobre: josé saramago

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG