Sapucaí será palco da festa de 50 anos da Imperatriz

O sambódromo do Rio de Janeiro será o palco da festa de aniversário da Imperatriz Leopoldinense. A escola comemora 50 anos com um desfile dedicado à história da própria Imperatriz, contada a partir de Ramos, na zona norte do Rio.

Agência Estado |

Foi no bairro do subúrbio que nasceu a agremiação e formaram-se bambas como Arlindo Cruz, Beth Carvalho e Jorge Aragão. Com o enredo "Imperatriz... Só quer Mostrar que faz Samba Também!", 3,5 mil componentes, 39 alas e oito alegorias, a escola vai à luta para quebrar o jejum de oito anos sem o título de campeã do carnaval carioca. A Imperatriz é a terceira a desfilar hoje, com entrada na avenida prevista entre as 23h10 e 23h40.

Para retratar com fidelidade a trajetória da Verde e Branca de Ramos, a carnavalesca Rosa Magalhães foi buscar inspiração em outros carnavais. Rosa mergulhou nos registros dos desfiles para contar, por exemplo, como a Imperatriz conquistou, em 1980, seu primeiro título de campeã do Grupo Especial, com um enredo sobre a Bahia. A escola chegou a comemorar três títulos consecutivos, de 1999 a 2001. Para a carnavalesca, a pesquisa foi a mais árdua etapa da preparação do desfile. "Pesquisei desde o início dos desfiles da Imperatriz", conta. "O trabalho deu origem a uma releitura dos nossos carnavais."

A história da escola é conduzida ao longo do desfile por trilhos de trem que cortaram a região da Leopoldina em 1886 e transformaram, aos poucos, a fazenda da família Fonseca Ramos no bairro de Ramos. Rosa dá uma pista sobre o abre-alas da escola: "O bairro começou com uma parada de trem - logo, o trem não poderia deixar de estar presente." Anos depois, Ramos faz fama por abrigar a única praia da região, conhecida como "Copacabana do Subúrbio". O divertimento do povo no balneário será lembrado no segundo setor do desfile.

A folia em Ramos começa em 1910, com clubes carnavalescos, e evolui para a formação de blocos nos anos 30. De um deles, nasce, em 1959, a Imperatriz Leopoldinense. "O carnaval é uma manifestação viva", comenta Rosa. "O carnaval de rua, tão presente nas décadas de 30 e 40, está ressurgindo com grande força." Para narrar essa trajetória, a Imperatriz leva à avenida para desfilar personalidades do samba como Beth Carvalho, Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Sombrinha, Dicró, Elymar Santos e o grupo Fundo de Quintal. À frente da bateria do mestre Marcone, samba Luiza Brunet. Confira a seguir o samba-enredo da escola, composto por Carlos Kind, Di Andrade, Valtenci, Jorge Arthur e Josimar.

"Imperatriz... Só quer Mostrar que faz Samba Também!"

Vem curtir bom samba, pode chegar
Tem batuque de tantan
Um cavaquinho a chorar
Quem é do bairro nasceu com o dom de versar
Ramos! Numa fazenda foi que tudo começou
E sobre trilhos o destino aqui parou
Fez o progresso então chegar
Ruas, casarões, mariangú, banhos de mar
Nos carnavais ranchos e blocos vão mostrar
Que em nossas veias correm notas musicais
Trazendo paz e harmonia, paixão e razão de viver
Maestro e menestréis vêm conhecer

Vão se encontrar…
Villa Lobos, Pixinguinha e outros bambas
A semente germinou
Do Recreio então brotou
Nossa Escola de Samba

Vai virar cenário de novela
Vem comigo reviver, fala Martin Cererê
O grito de campeão vem
Arlindo, o que é que a Bahia tem
Com Lamartine és a mais bela
Liberdade, liberdade na Passarela
E pra cantar o nosso orgulho, a nossa emoção
Mais cinco vezes o "é campeão!"
Na Leopoldina ecoou…
Imperatriz traz o Fundo de Quintal
Com o Cacique eu vou, eu vou
Cinqüenta anos de carnaval

A festa vai começar, eu vou mostrar
Que faço samba também, vem ver meu bem
Se você fala de mim, não sabe o que diz
Muito prazer! Sou a Imperatriz!

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG