Sapato voador iraquiano inspira exposição no Egito

Marina Villén. Cairo, 24 jan (EFE).- Pinturas, esculturas, fotografias, mas sobretudo muitos sapatos, é o que se pode ver em uma exposição no Cairo que toma como fonte de inspiração o sapato voador jogado no Iraque contra o então presidente americano, George W.

EFE |

Bush.

"Sapato" é o título desta exposição da qual participaram cerca de 20 artistas egípcios com obras realizadas para a ocasião ou antigas, já que a ideia de exibir sapatos na galeria Ibdaa surgiu quase por acaso.

"Havíamos previsto para janeiro uma exposição de pintura, mas o autor nos disse no final de dezembro que não tinha obras suficientes", confessou à Agência Efe a gerente da galeria Ibdaa, Lisa Lounis.

O dono da galeria, Nabil Abou El Hassan, decidiu então iniciar uma exposição que tivesse como protagonistas indiscutíveis os sapatos.

"Já tinha a ideia antes, mas pensei que devido ao incidente do Iraque (quando um repórter iraquiano atirou seus sapatos Bush, em 14 de dezembro) era um bom momento para fazê-la", afirmou Lounis.

Em menos de um mês, foram encontrados os artistas, que tiveram absoluta liberdade sobre como situar os sapatos em suas criações.

"Sapatos", aberta ao público até 2 de fevereiro, reúne obras com mensagens políticas ou simplesmente estéticas, mas é curioso que nenhuma delas apareça representando o modelo original lançado contra Bush.

Na opinião de Lounis, isto se deve a que no Egito "as pessoas têm medo e não querem se posicionar politicamente".

Na entrada da galeria, o visitante é recebido com um sapato de salto alto e cores gritantes, em papel maché, dentro do qual pequenos bonecos usam sua inclinação como tobogã, no qual se deslizam em meias soquetes.

Chama a atenção na sala principal um quadro de fundo rosa no qual um sapato bastante moderno leva o nome de Montazer al Zaidi, o jornalista iraquiano considerado herói nacional por desafiar o agora ex-presidente Bush.

Seu autor, Hany Rasehd, sim, elaborou a obra expressamente para a exposição, uma obra "muito política, mas com sapatos quase 'fashion'", segundo Lounis, que inclui três vinhetas representando o momento em que Al Zaidi jogou o sapato.

Nas palavras Rasehd, "as pesquisas de opinião pública internacionais coincidem unanimemente em que o sapato de Al Zaidi é o acontecimento mais destacado do ano 2008".

O ato de lançar os sapatos e chamar alguém de "cão", como Al Zaidi fez com Bush durante uma entrevista coletiva, é considerada uma terrível ofensa no mundo árabe.

Outra obra de caráter político é um poster que mistura a foto de Bush e a de vários líderes árabes, entre eles o presidente sírio, Bashar al-Assad, e o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, com imagens de crianças palestinas feridas. No chão, um monte de sapatos.

Protagonistas da exposição e "símbolos do 'não'", como diz um dos artistas, Najib Ezzeddin, em um texto escrito, os sapatos se transformaram no "braço da ira das vítimas de todo o mundo contra seus opressores". EFE mv/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG