São Paulo estipula metas para os hospitais públicos

SÃO PAULO - Os 72 hospitais públicos do Estado de São Paulo, ligados à administração direta, terão de cumprir metas de gestão e de qualidade a partir de janeiro de 2009 - assim como já acontece com as 49 unidades administradas pelas Organizações Sociais de Saúde (OSS). É a primeira vez que a Secretaria da Saúde estipula metas para essas unidades de saúde.

Redação |

Acordo Ortográfico

Segundo o secretário da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata, os hospitais terão as metas avaliadas a cada três meses, quando novos objetivos serão estipulados. A liberação dos recursos passará a ser flexível - variando com o cumprimento das metas, e não mais anual.

Entre as metas estão a melhoria no atendimento ambulatorial, número de internações e de consultas, redução dos casos de infecção hospitalar, redução das cesáreas e melhora na taxa de ocupação.

Nos primeiros três meses, três hospitais vão participar: Hospital Regional Sul (zona sul), Hospital Geral de Taipas (zona norte) e Hospital Infantil Cândido Fontoura (zona leste). A expectativa da secretaria é que até 2010 todos os hospitais do Estado atuem desse modelo.

O governador José Serra (PSDB) assinou ontem os contratos de gestão com as OSS para a administração de 49 unidades de saúde do Estado e liberou R$ 1,7 bilhão para serem aplicados no gerenciamento. Todas essas unidades também têm metas a serem cumpridas.

Do total de recursos, o maior valor (R$ 113 milhões) será destinado ao Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira.

Segundo Serra, os hospitais geridos pelas OSS atendem 25% mais pacientes e gastam 10% menos, em relação às unidades de administração direta.

Leia mais sobre: hospitais

    Leia tudo sobre: hospitais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG