Foi inaugurada hoje a primeira clínica pública do Estado de São Paulo para a internação de jovens dependentes de álcool e drogas. Estabelecida na altura do km 30 da Rodovia Raposo Tavares, em Cotia, na Grande São Paulo, a unidade conta com 30 leitos e poderá atender anualmente cerca de 120 garotos de 14 a 18 anos, segundo a Secretaria da Saúde paulista.

Fruto de uma parceria entre a pasta e o Hospital Samaritano, a clínica custou aproximadamente R$ 1 milhão. Para mantê-la, estima-se que serão necessários cerca de R$ 1,7 milhão por ano. Construído numa área de quatro mil metros quadrados, o estabelecimento dispõe de salas de convivência e de aula para computadores, quadra poliesportiva, horta para aulas de jardinagem, refeitório e ambulatório.

O tempo médio de internação será de um a três meses. Neste período, segundo a secretaria, os pacientes contarão com a participação da família em algumas atividades. O encaminhamento dos jovens será feito por meio das Secretarias de Saúde dos municípios, Ministério Público, Poder Judiciário, além dos conselhos tutelares. Não serão aceitos adolescentes infratores.

"É um novo modelo de tratar esses pacientes, que antes tinham como opção apenas o atendimento ambulatorial nos Caps (Centros de Atenção Psicossocial) ou internações curtas em hospitais gerais, para desintoxicação", afirmou, em nota, o secretário da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata. O modelo adotado foi baseado numa clínica dos Estados Unidos, cuja recuperação supera os 70%, de acordo com a secretaria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.