Um recadastramento feito pela Secretaria de Administração do Estado da Bahia (Saeb) constatou que 886 (11,6%) dos 7.644 servidores contratados pelo Regime Especial de Direito Administrativo (Reda) para trabalhar em Salvador estão irregulares.

Esses profissionais são contratados em caráter de emergência, sem concurso público, pelo governo estadual.

De acordo com a Saeb, o pagamento a esses funcionários foi suspenso e 515 deles já foram exonerados. Os outros 371 ainda terão a chance de se explicar. Segundo a Saeb, a secretaria que mais registrou trabalhadores irregulares foi a da Saúde, com 109, seguida por Educação, com 69.

As irregularidades mais encontradas são duplicidade de funções e nível de escolaridade incompatível com o cargo exercido. Os salários dos servidores variava entre R$ 500,00 e R$ 3.500,00.

Caso todos os 886 sejam afastados, a economia de recursos, para o Estado, será de R$ 2,2 milhões este ano. A partir de segunda-feira, a Saeb inicia o recadastramento dos servidores Reda no interior do Estado. Nos outros 416 municípios baianos, estão contratados pelo regime especial 12,5 mil servidores.

Leia mais sobre servidores

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.