Ruas alagadas, desabamento de imóveis, árvores caídas e muito transtorno para motoristas e pedestres é o quadro verificado em Salvador, neste feriado de Tiradentes em razão da chuva que cai desde a noite de segunda-feira. Conforme a Defesa Civil, o volume das precipitações nos últimos dias foi de 249 mm, quando o esperado para todo o mês de abril são 326 mm.

Segundo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), até amanhã a previsão ainda é de muita chuva na capital baiana, deixando a Defesa Civil e moradores em áreas de encosta em estado de alerta máximo. A capital baiana possui 520 áreas de risco geológico.

AE
As fortes chuvas alagaram várias avenidas

Até o início desta tarde, a Defesa Civil já havia registrado 102 solicitações. Três imóveis desabaram nos bairros do Engenho Velho de Brotas, Santa Cruz e um casarão em ruínas, no Comércio. Em nenhum dos casos houve vítima. Mas, lojistas que trabalham próximos ao casarão que desabou afirmam que não houve feridos em razão do fraco movimento na região, devido ao feriado.

AE
Árvores caíram atingindo três veículos no bairro da Pituba

Há ainda o registro de sete árvores que caíram em diferentes pontos da cidade, duas delas em cima de carros que estavam estacionados, totalizando cinco veículos danificados. De acordo com as solicitações recebidas pela Defesa Civil, ocorreram nove desabamentos de muro e sete pontos de alagamentos. Em um deles, no bairro do Rio Vermelho, orla marítima, apenas ônibus e caminhões conseguiam passar, pela manhã.

Nem mesmo a IX Bienal do Livro, que está sendo realizada no Centro de Convenções da Bahia, passou incólume à chuva, que invadiu a área de exposição, danificando estandes e molhando livros e atrasando em uma hora a abertura do evento.

Veja reportagem em vídeo sobre os estragos da chuva:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.