O senador Wellington Salgado (PMDB-MG) mostrou-se inconformado com a sugestão do colega Pedro Simon (PMDB-RS) de que o presidente do Senado, José Sarney, deva se afastar do cargo. Se afastar por que, se ele está agindo com transparência?, questionou.

"Sarney está cortando quem deveria cortar", afirmou. Para o senador, se Sarney for afastado do cargo virá outro senador para o seu lugar e continuará o risco de haver novas denúncias novamente. "Sou espectador, mas não sou burro. Sou suplente, mas não sou burro. Me tacham como se eu fosse um subproduto", reclamou.

Salgado explicou que sua avaliação é a de que, como a economia vai bem e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem alta aceitação, é preciso atacar alguma instituição e esta instituição seria o Senado. "É um sinal de autoflagelação? Eu sou contra. Vamos nos atacar porque não temos quem atacar?", indagou. Hoje, o jornal O Estado de S. Paulo denunciou que o neto do presidente do Senado, José Adriano Cordeiro Sarney, é um dos operadores do esquema de concessão de empréstimos consignados a servidores do Senado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.