Saiba quais os sintomas da gripe suína e recomendações do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde intensificou o monitoramento nos aeroportos para evitar a entrada de pessoas infectadas pelo vírus da gripe suína, nos voos procedentes do México e dos Estados Unidos.

Redação com agências internacionais |

A partir desta segunda-feira, panfletos serão distribuídos nos aeroportos internacionais com informações sobre a gripe suína que já matou mais de 100 pessoas no México, tem casos confirmados nos Estados Unidos, Espanha e Canadá e suspeitos em outros cinco países ( veja a lista de países com casos suspeitos e confirmados )

De acordo com ministério, quem esteve nas áreas afetadas pela gripe suína, nos últimos dez dias, deve procurar um posto de saúde caso apresente os sintomas da doença, que são similares àqueles da gripe convencional: febre repentina, tosse, dores musculares e cansaço extremo. Este novo surto, aparentemente, também causa mais diarreia e vômitos que a gripe convencional.

As tripulações das aeronaves vindas dos Estados Unidos e México serão orientadas a informar os passageiros, ainda durante o voo, sobre os sintomas que definem casos suspeitos, como febre acima de 39 graus, acompanhadas de tosse e/ou dores de cabeça, nos músculos e nas articulações.

Aqueles que apresentarem esses sintomas serão orientados a procurar o posto da Anvisa no aeroporto de desembarque no Brasil e, se necessário, encaminhados para unidades de referência de atendimento na rede pública de saúde.

O ministério também recomenda alguns cuidados que devem ser tomados para quem for viajar para esses lugares:

- Usar máscaras cirúrgicas descartáveis, durante toda a permanência em áreas afetadas. Substituir as máscaras sempre que necessário.

- Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço, preferencialmente descartável.

- Evitar locais com aglomeração de pessoas.

- Evitar o contato direto com pessoas doentes.

- Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal.

- Evitar tocar olhos, nariz ou boca.

- Lavar as mãos freqüentemente com sabão e água, especialmente depois de tossir ou espirrar.

- Em caso de adoecimento, procurar assistência médica e informar história de contato com doentes e roteiro de viagens recentes a esses países.

- Não usar medicamentos sem orientação médica.

Por meio de nota, o ministério ressalta que não há evidências da circulação do vírus Influenza em humanos no Brasil. O documento informa ainda que o consumo de produtos de origem suína não representa risco à saúde das pessoas.

Um Gabinete Permanente de Emergência ¿ formado por representantes do Ministério da Saúde, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ¿ já foi acionado e se reunirá diariamente em Brasília para acompanhar a evolução epidemiológica da situação e indicar as medidas adequadas ao país.

As coordenações estaduais de vigilância em saúde foram orientadas para comunicar imediatamente a ocorrência de casos suspeitos ao Ministério da Saúde, por meio das 19 unidades que integram a rede do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs).


Aeroportos fazem prevenção de voos vindos do México


(*com informações das agências Reuters e Brasil)

Leia também:

Entenda a gripe suína:

Gripe suína no Brasil:


Leia mais sobre: gripe suína




    Leia tudo sobre: gripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG