Por Maria Carolina Marcello BRASÍLIA (Reuters) - Quase oito anos depois da derrota para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, José Serra tornou-se neste sábado pré-candidato à sucessão presidencial pelo PSDB em que terá como principal oponente em outubro a ex-ministra Dilma Rousseff, lançada em fevereiro pelo PT.

Líder na pesquisa Datafolha divulgada em 27 de março, que o aponta com nove pontos à frente de Dilma, Serra vinha evitando assumir publicamente sua candidatura, gerando ansiedade nos correligionários.

Sua posição nas sondagens eleitorais contrasta com a alta popularidade tanto de Lula quando do seu governo, na casa dos 70 por cento.

Economista de 68 anos nascido no bairro da Mooca, em São Paulo, começou na política como líder estudantil, chegando a presidir a União Nacional dos Estudantes em 1963.

Cursava engenharia civil na USP quando se viu forçado ao exílio devido ao golpe de Estado de 1964. Até 1978 morou no exterior, onde obteve o mestrado em Economia, pela Universidade do Chile, e o doutorado em Ciências Econômicas, pela Universidade de Cornell (EUA).

Serra foi um dos fundadores do PMDB e, pelo partido, foi eleito deputado federal constituinte em 1986. Foi reeleito em 1990 já pelo PSDB, legenda que ajudou a criar juntamente com Fernando Henrique Cardoso e Mario Covas.

Em 1994 o tucano se elegeu senador por São Paulo, mas exerceu pouco tempo seu mandato, já que ocupou os ministérios do Planejamento (1995-1996), e da Saúde (1998-2002) nos governos de Fernando Henrique Cardoso.

Na pasta da Saúde, coordenou a implantação dos medicamentos genéricos, brigou pela redução de preços de drogas contra Aids e atuou pela regulamentação da Lei de Patentes a partir de resolução da Organização Mundial do Comércio (OMC) que autoriza a quebra de patentes em casos de emergência nacional na área de saúde.

A primeira experiência de Serra como administrador público ocorreu em 1983, quando assumiu a Secretaria de Economia e Planejamento do governo paulista de André Franco Montoro.

DERROTAS E VITÓRIAS

Apesar de político bem-sucedido, o tucano demorou para vencer em eleições para cargos do Executivo.

Em 1988, quando candidatou-se à Prefeitura de São Paulo pela primeira vez, ficou em quarto lugar. Oito anos depois, deixou o Ministério do Planejamento para concorrer novamente à prefeitura, mas sequer chegou ao segundo turno.

Ao tentar a Presidência da República em 2002, nova derrota. Serra só venceu sua primeira eleição para o Executivo em 2004, quando foi eleito prefeito de São Paulo. Apesar da promessa de cumprir o mandato até o final, pouco mais de um ano depois de assumir, deixou a prefeitura para disputar as eleições para o governo do Estado, que venceu em primeiro turno.

É casado com Mônica Allende Serra, com quem tem dois filhos e três netos.

(Edição de Carmen Munari)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.