SAIBA MAIS- Aviões e navios usados na busca do AF 447

RECIFE (Reuters) - A operação de busca do avião da Air France, que desapareceu na noite de domingo horas após decolar do Rio de Janeiro rumo a Paris, já entrou no quinto dia. Aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) avistaram destroços que poderiam ser do Airbus da Air France, mas a Marinha ainda não conseguiu recolher o material para trazer ao continente. As operações iniciaram-se na segunda-feira, quando os primeiros aviões da FAB começaram a sobrevoar a área, mas os primeiros navios da Marinha chegaram à região onde foram visualizados destroços somente na quarta-feira.

Reuters |

O único material recolhido até agora não era do avião que fazia o voo AF 447, com 228 pessoas a bordo, segundo concluiu a Aeronáutica após análises.

Veja abaixo algumas informações sobre os equipamentos que estão sendo usados nessas buscas:

POR AR

* R-99

Aeronave capaz de fornecer imagens e informações eletrônicas sobre seus objetivos em tempo real. Equipada com sensores de alto desempenho, como um radar de abertura sintética (SAR), e sistemas de comunicação e inteligência eletrônicas.

* C-130 Hércules

A FAB utiliza os Hércules de várias formas, como no lançamento de para-quedistas, transporte aéreo e missões de busca e salvamento.

* Helicóptero H-60 Black Hawck

De acordo com a FAB, sua configuração contempla a missão de resgate em combate e, em tempos de paz, pode ser usado para auxiliar as atividades de busca e salvamento de civis. A capacidade de transporte da aeronave é de até 4 toneladas.

* Helicóptero Super Puma

Tem capacidade para transportar 20 soldados totalmente equipados, o que, segundo a FAB, faz dele um excelente helicóptero para operações de assalto. Os Super Puma são muito empregados na Amazônia e no auxílio em casos de calamidade.

* Bandeirante de resgate

Além de lançar para-quedistas em missões de infiltração ou de salto livre, efetua missões de transporte de cargas leves e de passageiros. Sua versatilidade permite também participação em operações de busca e salvamento e aferição de equipamentos de aeroportos.

* Bandeirante de patrulha

Versão do Bandeirante para patrulhamento marítimo. Em razão de motores diferentes e dos tanques de ponta de asa, a autonomia é mais elevada que os demais Bandeirantes. Equipado com aparelho de radar no nariz e faróis de longo alcance usados em busca noturna. Os chamados Bandeirulhas patrulham a costa, executam a identificação e o controle do tráfego mercante e são acionados em operações de busca e salvamento.

* C-105 Amazonas

Esse tipo de avião é considerado pela FAB estratégico para operações de transporte médio e apoio às atividades sociais e de proteção da Amazônia. Pode realizar transporte tático e logístico, lançamento de para-quedistas, cargas ou evacuação médica.

Sua porta traseira da rampa, que pode ser aberta durante o voo, facilita o embarque e o desembarque de carga. O C-105 Amazonas pode ser utilizado em muitas das missões realizadas pelos C-130 Hercules, mas com custos mais baixos.

POR MAR

* A Marinha acionou cinco navios. Já estão no local a fragata Constituição, que possui um helicóptero Lynx, o navio patrulha Grajaú e a corveta Caboclo. Segundo a Marinha, os navios estão equipados para içar os destroços ou materiais que forem avistados no mar. Há em cada navio dois mergulhadores preparados para fazer amarras a fim de facilitar o trabalho de recolhimento.

A fragata Bosísio e o navio-tanque Gastão Motta saíram do Rio dia 2 de junho com destino à área de busca.

AJUDA INTERNACIONAL

França e Estados Unidos também participam da operação. Os norte-americanos enviaram o avião P-3 Orion e os franceses mandaram para a região o Atlantic 2, que já estão realizando as buscas. Estão a caminho dois navios e um submarino nuclear, o qual tem maior capacidade para encontrar a caixa-preta do avião desaparecido. A França ajuda ainda com a aeronave Falcon 50.

(Reportagem de Fernando Exman; Edição de Eduardo Simões)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG