No fim de semana, diversos feirões de automóveis são realizados pelo País. Antes de fechar um negócio, porém, especialistas ouvidos pela reportagem do Último Segundo dão o alerta: é importante conferir todos os itens falados pelo vendedor, que, em alguns casos, pode esconder problemas do carro e até fraudar a quilometragem. Caso entenda que é necessário, vale contratar um serviço de profissionais para avaliar o negócio. Uma inspeção custa, em média, R$ 100. Mas caso você queira economizar este dinheiro e fazer uma boa compra, veja algumas dicas de especialistas para evitar problemas.

Modelo escolhido - Mais do que a beleza, é importante analisar se o carro tem fácil revenda e manutenção barata. O consultor Fabrício Abrantes, da FSA Consultoria, cita, por exemplo, os modelos Peugeot 206, Audi A3 e Golf que, segundo ele, são mais difíceis para revender. Além disso, adquirir um veículo que teve apenas um dono evita problemas.

Bruno Rico
Lateral de carro
Lateral de carro
Lataria - Para verificar se o carro foi batido ou tem ondulações, posicione-se de forma paralela ao veículo e observe a lateral. Outro modo ainda é usar um imã. Se a peça não grudar no carro, é indício de que foi usado excesso de massa plástica em um possível reparo. Para saber se a pintura foi modificada, compare se há variação no tom entre as partes da carroceria.

Bruno Rico
Aro danificado de roda de carro
Aro danificado da roda do carro

Roda - Verifique se o aro está torto ¿ isso indica que o carro passou por um buraco e o sistema de direção ou tração pode ter sido afetado. É importante ainda checar se os pneus estão desgastados. Se o pneu estiver gasto na parte interna ou externa, é indicio de que o carro está desalinhado.

O mecânico Marco Cesar Santomauro lembra ainda que é importante verificar se o veículo tem estepe e se ele não está furado.

Motor - Ao ligar o veículo, mantenha a aceleração baixa ou média para observar se há ruídos estranhos, como metais batendo. Se ouvir algum barulho, Santomauro recomenda levar o carro para que seja feita uma inspeção. Segundo o mecânico, neste caso, pode ser batida de ranger, de bronzina ou problema de válvulas.

Bruno Rico
Espuma não conservada do capô
Espuma não conservada do capô
Capô - Na parte de baixo do capô, há uma espuma que isola o ruído do motor e o calor. Veja se está conservada. Sem estiver, existe o risco da tinta do capô derreter. Ao abrir o capô, verifique ainda se o óleo de freio está nivelado. Retire, também, o tampão de óleo do motor e verifique a cor. Se estiver amarelado (cor de leite condensado), é porque a junta do cabeçote queimou, (provavelmente por alguma elevação da temperatura). O mesmo vale para a valeta de medição do óleo.

Bruno Rico
Óleo de freio
Óleo de freio
Bateria ¿ Repare se há vazamentos. Se houver, ela está no fim da vida.

Suspensão - Apóie-se no capô e force para baixo um dos lados do carro. Se, ao sair, ele continuar balançando, a suspensão está gasta. Além disso, ao dar uma volta com o carro, procure passar por uma superfície irregular e observar se o carro balança em excesso.

Bruno Rico
Tampão de óleo do motor
Tampão de óleo do motor

Revestimento
¿ Não esqueça de verificar o estado do forro. É importante observar se está firme e sem cheiro e olhar por baixo dos tapetes para ver se estão limpos e se não há umidade. Fique atento, também, à higiene. Geralmente um carro sujo carrega problemas mais graves.

Quilometragem ¿ Exceto em raras situações, não há como ter certeza se a quilometragem foi adulterada. Mas, pelo estado do veículo, é possível fazer comparações. Por exemplo, se a proteção do pedal estiver excessivamente gasta e a quilometragem for só de 20 km, é bem provável que o marcador tenha sido adulterado. Desconfie de quilometragens muito baixas em carros com desgastes no forro ou no painel. Preste atenção aos marcadores de troca de óleo. Um carro com 20 mil Km não pode ter feito mais de três trocas de óleo, por exemplo. O consultor Fabrício Abrantes aposta que mais da metade dos carros revendidos apresentam quilometragem adulterada.

Bruno Rico
Revestimento de carro
Revestimento de carro
Direção - Balance a direção antes de mexer nas rodas. Se tiver muita folga, deve haver problema na caixa de direção.

Freio - O pedal não deve encostar no assoalho. Caso isso ocorra, além de estar gasto, representa risco para quem dirige. Ao dirigir o veículo, teste o freio. Veja se o carro não puxa para a esquerda ou para a direta. Se o problema for constatado, existe uma falha na direção, suspensão ou freio.

Embreagem - Com o uso, tende a ficar mais dura. Use o bom-senso para avaliar se está boa para dirigir.

O consultor Fabrício Abrantes recomenda ainda que a compra não seja efetivada no dia do feirão. Segundo ele, o evento é um importante local para que as negociações sejam iniciadas, mas, antes de adquirir o veículo, é importante anotar todos os dados do carro, tais como chassi, placa, ano-modelo, cor do veículo, e checar se há pendências ou problemas. Com todos os dados, a pessoa pode verificar se o carro é financiado ou tem multas ¿ até mesmo se o veículo é roubado, diz Abrantes. Ele lembra também que, pelo Código de Defesa do Consumidor, não há garantia estabelecida quando a compra é feita entre pessoas físicas.

Leia mais sobre: compra de carros

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.