Sabesp avalia possibilidades de geração de energia

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) avalia a possibilidade de produzir energia por meio de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) ou de usinas térmicas a partir dos gases gerados no tratamento de esgoto. O estudo das alternativas de geração de energia é realizado pela área de Novos Negócios da Sabesp, mas não há previsão de quando os projetos serão executados, segundo o presidente da estatal paulista, Gesner Oliveira.

Agência Estado |

Por enquanto, só há projetos piloto de geração.

Os custos com energia são a terceira maior despesa da companhia, que gastou R$ 460 milhões com o insumo no ano passado. A Sabesp responde pelo consumo de 1,84% da energia elétrica no Estado, segundo Oliveira. O programa da Sabesp de reduzir custos com energia abrange outras ações, que vêm sendo executadas nos últimos anos, como a migração de parte dos contratos de compra para o mercado livre. Desde 2004, a economia obtida com a medida foi de R$ 124,6 milhões. Em 2008, o mercado livre respondeu por 38% dos gastos da Sabesp com energia e por 46% do consumo. Outra iniciativa da companhia é utilizar a água dos reservatórios de sistemas regionais em momentos de picos de consumo, quando o valor da tarifa é mais elevado. O programa de redução de perdas é outra das medidas adotadas pela Sabesp.

Questionado sobre como estão as negociações de compra do controle da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae), o executivo disse apenas que "não há novidades".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG