Sabatina Estadão: sobre prisão, Maluf se diz perseguido

Ao falar de sua prisão pela Polícia Federal, na sabatina realizada hoje pelo Grupo Estado , o candidato do PP à Prefeitura da Capital, Paulo Maluf, listou uma série de personalidades que também foram presas, dentre elas o líder indiano Mahatma Gandhi. Questionado sobre a razão de sua prisão ter sido diferente da prisão de outras personalidades, já que a PF o deteve sob acusação de crime contra o sistema financeiro (evasão fiscal), corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, Maluf reiterou que foi perseguido por causa de suas obras e feitos, citando a construção da Rodovia Carvalho Pinto e o Aeroporto de Cumbica.

Agência Estado |

Indagado pelo repórter Fausto Macedo, do jornal O Estado de S.Paulo , a respeito de um pedido de prisão expedido contra si nos Estados Unidos, o candidato do PP reagiu fortemente, dizendo: "E mentira, é mentira, é mentira." Diante da sustentação do repórter de que o pedido de prisão nos Estados Unidos foi realmente expedido, o candidato do PP refutou: "O Brasil não é quintal americano."

O candidato do PP afirmou que o paulistano quer a manutenção do PAS e lamentou que a adversária Marta Suplicy (PT) acabou com esse programa. "Uma coisa é prometer e outra é sentar naquela cadeira (de prefeito) e fazer funcionar", destacou.

Ao ser questionado sobre o segundo turno, Maluf lembrou que o eleitor manifesta seu desejo apenas nos últimos dias antes do pleito. "Espero ir para o segundo turno e se for prefeito, na minha idade, aos 77 anos, quero ser o melhor", destacou. Ao falar de segurança, disse que a área foi uma das marcas de sua gestão, citando a Rota. E disse que a instalação de câmeras na cidade começou em sua gestão.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG