Sabatina Estadão: Gabeira critica distribuição de cargos

O candidato a prefeito do Rio de Janeiro e deputado federal Fernando Gabeira (PV) pretende, se eleito, evitar que os partidos políticos ocupem a máquina pública da Prefeitura. Um caminho para mudar a sociedade brasileira é tentar mudar essa ocupação, disse ele na edição de hoje da série de sabatinas do Grupo Estado com candidatos a prefeito da cidade.

Agência Estado |

Ele considera o loteamento político "uma das fontes mais importantes de corrupção e incompetência".

Gabeira citou como exemplo positivo o que ocorre nos Estados Unidos, onde o presidente - quando eleito - pode nomear entre quatro a cinco mil cargos. E criticou: "Lula já admitiu quase 30 mil pessoas". E continuou: "Esse processo no Brasil deve ser alterado. Alguns políticos devem participar na administração, mas pela sua honradez e capacidade específica", disse.

Gabeira considera que existe hoje na sociedade brasileira "um grupo muito insatisfeito com corrupção e outro muito satisfeito com o crescimento e a estabilidade econômica". De acordo com ele, "em todos os momentos em que a economia vai bem, é difícil fazer oposição". Gabeira, que já foi petista e hoje tem o PSDB na sua coligação, diz que há "uma lacuna na oposição no Brasil". Segundo o deputado, "se o PT estivesse na oposição durante o escândalo do mensalão ou na queda do avião da TAM em São Paulo seria muito mais ativo do que foi a oposição".

Gabeira falou também de várias propostas para a área do meio ambiente, uma das grandes bandeiras de partido, não só em questões como a despoluição da Baía de Guanabara. Ele citou, por exemplo, a intenção de financiar pelo Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) a construção de sistemas de recuperação de água de chuva e de incentivo à produção de energia solar nas residências. Também sugeriu a contratação de motociclistas para recolher lixo nas favelas, com adaptações nos veículos para ter caçambas. Ele afirmou que busca o entendimento com uma universidade holandesa sobre pesquisa contra o avanço do mar, problema que pode atingir o Rio, e que pretende recuperar um grupo que existia no Rio, que são os guardiães de rios.

Dengue

Gabeira elogiou a gestão de Cesar Maia (DEM) no seu primeiro mandato na Prefeitura, nos anos 90. Porém, disse também que ele demonstrou "falta de compaixão" durante a epidemia da dengue deste ano. De acordo com o candidato, "quando o povo está sob situação difícil, o prefeito tem que estar perto". Gabeira acha que do primeiro mandato para agora, Cesar Maia "ficou distante da cidade". A série de sabatinas do Grupo Estado com candidatos à prefeitura do Rio, que já teve as participações de Marcelo Crivella (PRB), Alessandro Molon (PT) e Eduardo Paes (PMDB), segue amanhã com Solange Amaral (DEM). Na quinta será sabatinado Chico Alencar (PSOL) e, na sexta, Jandira Feghali (PCdoB).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG