Sabatina Estadão: Alckmin nega racha no PSDB

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, Geraldo Alckmin, abriu hoje o segundo dia do ciclo de sabatinas do Grupo Estado com os candidatos à Prefeitura da capital paulista descartando que seu partido está rachado. Na sua avaliação, as disputas internas são naturais e o PSDB marchará unido.

Agência Estado |

"O DEM (partido do prefeito e adversário neste pleito Gilberto Kassab) tem todo o direito de ter candidato. O PSDB também tem (esse direito). São Paulo é a maior cidade do País, maior do que Portugal, e desde 1988 o partido disputou todas as eleições aqui. Este é o sentimento do partido", afirmou. E continuou: "Temos muito mais condições de vencer o PT. Não desmereço ninguém (em relação ao Kassab), mas temos chances de vencer no segundo turno o PT."

Ao falar da disputa interna de sua legenda, Alckmin disse que "democracia começa dentro de casa" e fez uma alusão à disputa entre Hillary Clinton e Barack Obama para a escolha do candidato dos Democratas à disputa presidencial dos Estados Unidos. "É melhor disputar do que ter de mão beijada", disse, afirmando que se for eleito pretende ficar os quatro anos na Prefeitura e dará "todo o apoio" a José Serra na corrida à Presidência da República.

O tucano lembrou que foi bom José Serra não ter saído para disputar a Presidência da República em 2006 (quando ele próprio foi o candidato), pelas dificuldades de enfrentar a reeleição de Lula. "E eu ainda levei a eleição para o segundo turno", lembrou. "Foi uma honra representar o PSDB e levar a minha mensagem ao País inteiro."

Ao falar das pesquisas, o candidato criticou a do Ibope, que registrou duas quedas consecutivas nas suas intenções de voto. Segundo ele, a pesquisa Ibope "está atrasada em 15 dias" e ainda não captou o crescimento que sua candidatura está tendo no momento. Já com relação ao Datafolha (na qual ele aparece estável), o tucano disse que está mais perto da realidade. "Vou trabalhar para ir ao segundo turno, que é uma outra eleição."

No início da sabatina, Alckmin afirmou que é preciso uma ação metropolitana integrada nas questões que envolvem fluxo, como saneamento, controle de enchentes, transporte e saúde, entre outras. "Cabe a São Paulo, o maior núcleo dessa mancha urbana, liderar esse trabalho. Tem de haver maior integração na área da segurança pública e cabe ao prefeito da maior capital fazer esse trabalho", disse.

As sabatinas do Grupo Estado têm transmissão ao vivo pela TV Estadão . Ontem, a série com os candidatos à Prefeitura de São Paulo foi aberta com a petista Marta Suplicy. Pela ordem, virão em seguida o prefeito Gilberto Kassab (DEM) amanhã, Paulo Maluf (PP) na quinta, Soninha Francine (PPS) na sexta e Ivan Valente (PSOL), que fechará o ciclo na próxima segunda-feira.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG