Ruth Cardoso será enterrada hoje em São Paulo

O velório da antropóloga Ruth Cardoso se transformou ontem numa demonstração de ecumenismo político e acadêmico, cuja culminância foi a chegada emocionada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi à Sala São Paulo acompanhado por sua mulher, Marisa Letícia, e um grupo de ministros. Por alguns momentos, o espaço em torno do caixão foi uma simbólica trégua que reuniu adversários políticos antes inconciliáveis.

Agência Estado |

Lula abraçou demoradamente Fernando Henrique e depois repetiu o gesto com o filho Paulo Henrique e outros parentes do ex-presidente.

Durante o velório FHC recebeu chamadas telefônicas do ex-presidente americano Bill Clinton, da senadora Hillary Clinton e do Rei Juan Carlos I, da Espanha. Num salão próximo, dezenas de coroas de flores traziam mensagens de muitos Estados e de outros países da América do Sul.

No saguão da bela sala de concertos construída no governo Mário Covas, circulavam acadêmicos de correntes diversas Durante os 30 minutos em que permaneceu na cerimônia, Lula - que estava visivelmente comovido - conversou com aliados e adversários políticos.

Ruth Cardoso morreu ontem à noite, aos 77 anos, em casa, no bairro de Higienópolis, em São Paulo. Ela sofria de arritmia grave, decorrente de doença coronariana, e desmaiou quando conversava com o filho Paulo Henrique. Ruth havia passado por um cateterismo na véspera e seu estado de saúde era considerado bom. O enterro da ex-primeira-dama está marcado para a manhã de hoje. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG