Ruralistas comemoram indicação de Minc para Ministério

Depois de vários choques com o Ministério do Meio Ambiente, a bancada ruralista comemorou a indicação do secretário de Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc, para a cadeira na Esplanada. O deputado Homero Pereira (PR-MT), que já foi presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso (Famato), e a senadora Kátia Abreu (DEM-TO) avaliaram que a substituição de Marina Silva por Minc abrirá um canal de diálogo para os produtores rurais no governo na área ambiental.

Agência Estado |

"Pelo que eu li sobre o novo ministro, ele parece uma pessoa mais sensata e, sendo assim, acredito que será possível facilitar as discussões junto ao Meio Ambiente", disse o deputado. Ele contou que já pesquisou sobre o trabalho realizado por Minc no Rio de Janeiro e disse que o novo ministro conseguiu "compatibilizar os interesses ambientais com as reivindicações do setor produtivo local". A senadora não deixou de ressaltar a história de Marina, mas disse que Minc, "apesar de ser ambientalista, parece mais flexível e tem bom senso". "Estamos otimistas com a mudança. A ministra Marina, apesar de seu histórico, ia contra o País", afirmou. Ela ressaltou, no entanto, a necessidade de reformulação do Ministério do Meio Ambiente para garantir, segundo ela, mais agilidade nos processos de liberação de licenças ambientais.

Governo

A líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), lamentou o ex-governador do Acre Jorge Viana não ter aceitado assumir o Ministério do Meio Ambiente, no lugar de Marina Silva. "Internacionalmente, o Jorge Viana reduziria o impacto negativo da saída da Marina, da confusão na demarcação da reserva indígena Raposa Terra do Sul e da absolvição do Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, acusado de ter mandato matar Dorothy Stang", disse a líder petista.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG