RSF denuncia prisão de 41 jornalistas no Irã

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) denunciou neste domingo a prisão de mais cinco jornalistas no Irã, o que eleva a 41 o número de profissionais da imprensa e ciberdissidentes detidos no país, um mês depois das eleições presidenciais.

AFP |

Em um comunicado, a RSF condena a "crescente repressão" que os jornalistas sofrem no Irã e considera a situação "muito preocupante".

A RSF anunciou a prisão de Tohid Bighi, fotógrafo e colaborador do site Mashroteh, que apoiava o candidato de oposição Mehdi Karubi.

Outro fotógrafo, Majid Saidi, que já trabalhou para várias agências nacionais e internacionais, foi detido em casa por agentes do ministério da Inteligência, segundo a RSF.

A jornalista e diretora do blog Paineveste, Henghameh Shahudu, foi detida em 29 de junho do mesmo jeito, assim como Somaieh Nosrati, repórter dos jornais Teheran Emoroz e Hayat No.

Os quatro foram levados para um local desconhecido e as famílias não têm informações sobre o destino.

Um quinto jornalista, Said Matinpur, que trabalha para a revista Yarpagh do Azerbaijão, foi preso em 11 de julho, depois de comparecer ao Tribunal Revolucionário de Teerã. Um mês antes, havia sido condenado a oito meses de prisão por "relações com estrangeiros" e "publicidade contra o regime".

A RSF denuncia condições dramáticas de detenção e pede a libertação imediata dos detentos.

pcm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG