Palavras estrangeiras são vetadas em documentos do governo gaúcho

Tarso Genro aprova parte de projeto de lei que bane estrangeirismo no Rio Grande do Sul

Daniel Cassol, iG Rio Grande do Sul | 18/05/2011 19:03

Compartilhar:

Ridículo é essa gente que se lançou como cavaleiros andantes em defesa do estrangeirismo. Rebaixaram o debate, mas a sociedade superou e o governador, ao sancionar a lei, dá uma resposta aos jocosos”, diz deputado

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), anunciou nesta quarta o veto parcial ao projeto de lei do deputado estadual Raul Carrion (PC do B), que previa a obrigatoriedade da tradução para o português de palavras ou expressões estrangeiras. O projeto, que gerou polêmica no Estado, foi considerado inconstitucional pelo governo, que aprovou apenas um dos artigos da proposta inicial.

Tarso sancionou apenas o 2º artigo da proposta. Ele recomenda que os órgãos públicos priorizem o uso da língua portuguesa em documentos e materiais de propaganda. O veto parcial foi encaminhado na tarde desta quarta e os deputados gaúchos têm até 30 dias para manter ou derrubar a decisão do governador. Uma das alegações foi de que o projeto seria inconstitucional, já que o tema seria de competência da União. Pelo projeto inicial, palavras estrangeiras seriam vetadas em todo o Estado, e não apenas no governo.

Foto: Divulgação Ampliar

Raul Carrion, deputado estadual do Rio Grande do Sul pelo PC do B

Apesar do veto, o autor do projeto comemorou a tímida vitória. “Foi uma reposta aos jocosos”, diz ele. Para Carrion, a aprovação do artigo pode gerar medidas concretas, como a tradução de expressões em inglês no site do Banrisul. “Vai ser educativo”, avalia. Ou seja: a partir de agora, expressões como  Home Banking e Office Banking, que estão no site do banco estatal, terão de ter traduzidas para o português. 

Após a repercussão negativa do projeto, que foi aprovado por 26 votos a 24 na Assembleia Legislativa, Tarso Genro anunciou que consultaria especialistas antes de vetar ou sancionar a proposta, que evitou criticar. Na semana passada, foi realizada uma audiência com professores e escritores para discutir o tema. A ideia do governo era propor uma alternativa de valorização à língua portuguesa, sem a imposição de restrições.

Alvo de brincadeiras, Raul Carrion afirma que a decisão de Tarso Genro é uma resposta aos críticos. “Foi ruim a tentativa de desqualificarem o projeto. É uma resposta a eles. Pior foi desqualificarem o autor. Vi órgãos que esqueceram o direito de bem informar e partiram para uma cruzada em defesa do estrangeirismo. Ridículo é essa gente que se lançou como cavaleiros andantes em defesa do estrangeirismo. Rebaixaram o debate, mas a sociedade superou e o governador, ao sancionar a lei, dá uma resposta aos jocosos”, completa Carrion.

    Notícias Relacionadas



    Ver de novo