MST invade sede do Incra em Porto Alegre

Sem-terra também entraram em fazenda no norte do Rio Grande do Sul. Invasões fazem parte do "Abril Vermelho"

Daniel Cassol, iG Rio Grande do Sul |

AE
Mãe leva o filho para participar de invasão do Incra, em Porto Alegre: durante o "Abril Vermelho", MST promove onda de invasões pelo País
O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realizou duas ações na manhã desta terça no Rio Grande do Sul. O grupo de 600 pessoas que marchava na região norte do Estado invadiu uma fazenda localizada no município de Coqueiros do Sul. Em Porto Alegre, integrantes do MST invadiram a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

As ações fazem parte do chamado “abril vermelho”, onda de protestos realizada anualmente pelo movimento, que lembra o massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará, quando 19 sem-terra foram assassinados em 1996.

No dia 21 de março, o MST havia realizado a primeira invasão durante o governo de Tarso Genro (PT), ao entrar em uma fazenda na cidade de São Borja, na fronteira com o Argentina.

A Polícia Militar monitora a situação da Fazenda Coqueiros, em Coqueiros do Sul, e aguarda a ordem de despejo. A área, que tem sete mil hectares, é disputada pelo MST desde 2006.

Segundo a assessoria de imprensa do Incra, o trabalho na instituição continua normalmente, já que os sem-terra ocupam apenas o pátio e não entraram no prédio. Pela manhã, o superintendente regional Roberto Ramos recebeu uma pauta de reivindicações do movimento, que promete passar a noite no local.

O MST diz que o governo federal não cumpriu um acordo assinado em 2008, com o Ministério Público, prevendo o assentamento das mil famílias que vivem em acampamentos no Estado. Ainda nesta terça, representantes do movimento devem ter uma reunião com o governo do Estado.

    Leia tudo sobre: MSTRio Grande do SulIncraPorto Alegre

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG