Hospital diz que motorista precisa de tratamento psiquiátrico

Clínica onde Neis está internado diz que não pode tratá-lo por motivo de segurança, mas afirma que ele, de fato, precisa de ajuda

Daniel Cassol, iG Rio Grande do Sul |

nullO Hospital Parque Belém, onde está internado o motorista que atropelou os ciclistas em Porto Alegre, divulgou nota nesta quarta-feira recomendando a transferência de Ricardo José Neis para “uma unidade mais adequada à sua segurança" porque, segundo laudos de psiquiatras do hospital, ele precisa de tratamento contínuo.

A Polícia Civil tenta na Justiça transferir o acusado para o Instituto Psiquiátrico Forense (IPF), que teve sua prisão decretada durante esta madrugada.

Em nota divulgada nesta quarta, a direção do Hospital Parque Belém informou que Neis foi avaliado por dois psiquiatras, em momentos diferentes, e os laudos apontam que ele necessita de acompanhamento médico psquiátrico em unidade fechada sob cuidados contínuos. O hospital diz que tem condições de realizar o tratamento, mas recomenda a transferência para um local mais seguro.

“Devido a toda exposição do acontecimento, com repercussão internacional e com a possibilidade de reações imprevisíveis, recomendamos às autoridades, em consonância com os nossos médicos envolvidos no caso, a transferência deste paciente a uma unidade mais adequada à sua segurança”, diz a nota.

A Polícia Civil, que mantém o acusado sob custódia no hospital, tenta na Justiça transferi-lo para o Instituto Psiquiátrico Forense. A Justiça ainda não se manifestou sobre o pedido.

Entenda o caso

AE
Homem acusado de atropelar ciclistas se internou em clínica psiquiátrica
Ricardo José Neis, funcionário do Banco Central, conduzia seu Golf quando teve uma discussão com integrantes do Massa Crítica, que iniciavam a tradicional manifestação de ciclistas que ocorre na última sexta-feira de cada mês. Ele acelerou no meio do grupo e atropelou pelo menos 15 pessoas, sendo que oito tiveram ferimentos, foram encaminhadas ao Hospital de Pronto Socorro (HPS) e tiveram alta no mesmo dia.

Neis fugiu sem prestar socorro às vítimas e só se apresentou à polícia na segunda-feira, alegando ter entrado em pânico e tentado proteger o filho de 15 anos, que estava no carro.

Na noite desta terça, cerca de dois mil integrantes do grupo Massa Crítica participaram de um protesto nas ruas do bairro Cidade Baixa. Eles foram até a prefeitura municipal e participaram de uma reunião com o secretário de governança César Busatto. Ele convidou os ciclistas para uma reunião técnica com a Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC) para discutir medidas em favor do uso de bicicleta em Porto Alegre.

    Leia tudo sobre: Porto AlegreciclistasRicardo José Neis

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG