Homem diz que matou padre após ter sido assediado por religioso

Na tarde de segunda-feira, corpo de Jacinto Allebrandt, de 57 anos, foi encontrado no sítio onde vivia, no Rio Grande do Sul

Daniel Cassol, iG Rio Grande do Sul |

O homem de 28 anos, que era o principal suspeito da morte de um padre na zona rural do município de Brochier, a 90 quilômetros de Porto Alegre, confessou ter cometido o crime em depoimento nesta quinta-feira. De acordo com o delegado responsável pelo caso, o autor do homicídio alega legítima defesa durante uma briga que, segundo ele, correu depois de o padre ter se insinuado sexualmente.

Reprodução Google Maps
Brochier, cidade de 4,6 mil habitantes, fica a 90 quilômetros de Porto Alegre
A Polícia Civil prendeu nesta quinta-feira o homem cujo apelido é "Sorriso" - seu nome não foi revelado. Ele foi localizado na casa da família em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha. O rapaz, de 28 anos, prestava serviços esporádicos no sítio onde vivia e foi encontrado morto o padre Jacinto Allebrandt, 57 anos, na zona rural de Brochier. O corpo foi encontrado enrolado em um carpete e enterrado parcialmente, a poucos metros da casa onde o padre morava, na tarde de segunda-feira.

O delegado Ciríaco da Costa Filho colheu o depoimento no início da tarde desta quinta. Segundo o delegado, o homem confessou ter matado o padre, alegando legítima defesa. "Ele alega que foi agredido pelo padre e que agiu em legitima defesa. Ele alega que o padre tentou se insinuar sexualmente com ele, que reagiu e entraram em luta coporal", informou Ciríaco ao iG . Para o delegado, a versão "não é totalmente desprovida de credibilidade".

Ainda de acordo com o delegado, "Sorriso" disse que não roubou nada do padre. O notebook apreendido como ele teria sido um presente de Allebrandt. O rapaz prestou depoimento acompanhado de uma advogada. A polícia, que já tem a prisão temporária, pedirá a prisão preventiva. O delegado aguarda o resultado da perícia para concluir o inquérito.

    Leia tudo sobre: BrochierRio Grande do Sulpadreassassinatoviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG