Ricardo Neis responde em liberdade a um processo por 17 tentativas de homicídio triplamente qualificadas

Ciclistas protestam no local do atropelamento em Porto Alegre
Daniel Cassol
Ciclistas protestam no local do atropelamento em Porto Alegre

Cerca de 150 integrantes do grupo Massa Crítica, que defende o uso de bicicletas, realizaram uma manifestação na noite desta segunda-feira em frente ao Tribunal de Justiça em Porto Alegre. Eles protestam contra o habeas corpus concedido a Ricardo Neis , motorista que atropelou 17 ciclistas no dia 25 de fevereiro. 

Daniel Cassol
Manifestantes exibiram faixas e cartazes contra decisão
O servidor do Banco Central Ricardo José Neis responde a um processo por 17 tentativas de homicídio triplamente qualificadas - sem chance de defesa das vítimas, por motivo fútil e gerando perigo comum. Na última sexta-feira, porém, ele foi liberado do Presídio Central, após ter o pedido de habeas corpus autorizado pela Justiça. Neis estava preso desde o dia 11 de março. 

Durante o protesto desta noite, convocado pela internet, os ciclistas do Massa Crítica passaram pelo local do atropelamento, no bairro Cidade Baixa.

No dia 25 de fevereiro, eles realizavam a tradicional manifestação que ocorre na última sexta-feira de cada mês quando, após uma discussão, Ricardo Neis jogou seu veículo contra os ciclistas.

A manifestação desta segunda bloqueou algumas ruas do centro de Porto Alegre e terminou em frente ao Tribunal de Justiça. "Não é mole não, o assassino está fora da prisão", gritavam os manifestantes. O protesto foi acompanhado por agentes de trânsito da Empresa Pública de Transporte e Circulação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.