Chuvas matam e tiram pessoas das suas casas no Rio Grande do Sul

Final de semana tem temporais acima da média histórica. Em uma das cidades, Sapucaia, 800 pessoas estão desalojadas

Daniel Cassol, iG Rio Grande do Sul |

A chuva forte que caiu na região metropolitana de Porto Alegre neste final de semana causou estragos e provocou a morte de um jovem na cidade de São Leopoldo. A possibilidade de formação de um ciclone no Rio Grande do Sul faz a Defesa Civil alertar para novos problemas ao longo da semana.

Os municípios mais atingidos neste domingo foram Novo Hamburgo, São Leopoldo e Sapucaia do Sul, localizados no vale do rio do Sinos, além da zona norte de Porto Alegre. Levantamento preliminar da Defesa Civil aponta que Sapucaia teve cerca de 200 casas danificadas e 800 pessoas desalojadas. Já em São Leopoldo e Novo Hamburgo, cerca de 50 famílias tiveram de deixar suas residências.

Nesta segunda, a prefeitura de Sapucaia do Sul encaminhou Notificação Preliminar de Desastre (NOPRED) por enxurrada. Em São Leopoldo, 39 moradores das margens do arroio Hortoflorestal tiveram de ser retirados de suas casas com auxílio de um bote dos Bombeiros. Um trecho do Trensurb (os trens urbanos gaúchos) entre Sapucaia e São Leopoldo ficou alagado e o transporte teve de ser interrompido no domingo. Pontos da BR 116 ficaram bloqueados na região devido aos alagamentos.

"Esses transtornos são causados pelos problemas de escoamento nas áreas urbanas, como o entupimento de bueiros, quando ocorre uma precipitação intensa em um curto espaço de tempo", explica o capitão Ari Ferreira, da assessoria de comunicação da Defesa Civil estadual.

No domingo, a chuva em São Leopoldo alcançou entre 120 e 130 milímetros em cerca de cinco horas. O volume é maior do que a média histórica de fevereiro na cidade, de 98,5 milímetros, segundo a medição da MetSul Meteorologia. A forte chuva acabou provocando uma morte na cidade. O jovem Josias Samuel Martins de Lima, 19 anos, morreu ao tentar salvar uma vizinha idosa que se afogava na enxurrada provocada por um arroio do bairro Santo André. Ele encostou em um poste energizado e morreu eletrocutado. O rapaz deixa um filho e a esposa, que está grávida.

A chuva também provocou estragos e transtornos na Grande Porto Alegre durante o final de semana, enquanto a capital registrava picos de 38 graus de temperatura. Na sexta-feira, Viamão e Alvorada foram atingidas pelas chuvas e, no sábado, Cachoeirinha sofreu com a grande quantidade de água em pouco tempo e 150 famílias tiveram suas casas alagadas pela enxurrada.

A previsão do tempo indica que o Rio Grande do Sul pode seguir enfrentando fortes chuvas ao longo da semana, não se descartando a formação de um ciclone. De acordo com a MetSul Meteorologia, alguns pontos isolados do Estado podem registrar volumes até extremos com acumulados de 100 a 200 milímetros entre terça e quarta-feira. A Defesa Civil enviará alertas aos municípios ainda nesta segunda, depois de consolidar um mapeamento das áreas com maior risco de serem atingidas pelos temporais.

Com um clima de extremos, o Rio Grande do Sul tem regiões afetadas pela estiagem prolongada e outras atingidas por temporais e granizo. Já são 67 municípios com situação de emergência decretada. A enxurrada afetou 23 destes municípios, sendo que a seca na região sul do Estado atinge 16 localidades.

    Leia tudo sobre: Rio Grande do SulPorto AlegreSapucaiachuvasenchentes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG