Dilma sobrevoa áreas atingidas por chuvas no Rio Grande do Sul

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

De acordo com a Defesa Civil do Rio Grande do Sul, 168 municípios foram afetados pelas chuvas

Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff sobrevou hoje (19) as áreas atingidas pelas chuvas em Uruguaiana, na fronteira oeste do Rio Grande do Sul.

Dilma e o governador do Estado, Tarso Genro, saíram da capital, Porto Alegre, às 9h15 e chegaram à região por volta das 10h30. Eles sobrevoaram durante cerca de dez minutos os 12 bairros atingidos pelas chuvas que castigam o Rio Grande do Sul desde o final de junho.

-Governo reconhece calamidade pública e emergência em municípios gaúchos
-Vaca fica em cima de poste após enchente baixar no Rio Grande do Sul

Ponte do rio Ivaí afetada pelas enchentes dos últimos dias no Paraná. Foto: DivugaçãoVaca foi encontrada nesta segunda-feira (09), após nível diminuir o nível das águas. Foto: Lindomar Pereira/ Portal QuedasVaca foi encontrada nesta segunda-feira (09), após nível diminuir o nível das águas. Foto: Lindomar Pereira/ Portal QuedasVaca foi encontrada nesta segunda-feira (09), após nível diminuir o nível das águas. Foto: Lindomar Pereira/ Portal QuedasTemporais deixaram pelo menos nove mortos no Paraná. Foto: DivulgaçãoPor causa das chuvas, abastecimento foi afetado em diversas regiões do Paraná. Foto: DivulgaçãoAlagamento em Guarapuava, uma das cidade que decretaram estado de emergência no Paraná. Foto: DivulgaçãoEnxurradas deixaram milhares de desabrigados no Estado do Paraná. Foto: Divulgação

Após o sobrevoo, a presidenta e o governador reúnem-se com prefeitos da região para discutir as condições da população prejudicada pelas chuvas. Na reunião, devem ser anunciadas medidas de emergência e auxílio aos municípios.

De acordo com a Defesa Civil do Rio Grande do Sul, 168 municípios foram afetados pelas chuvas. Destes, 138 estão em situação de emergência e dois em estado de calamidade pública. A Defesa Civil informou que 2.392 pessoas estão desalojadas, 558, desabrigadas. Ainda segundo o órgão, três pessoas morreram e uma está desaparecida.

Após cumprir agenda oficial em Uruguaiana, Dilma retorna a Porto Alegre e, em seguida, volta para Brasília.

Leia tudo sobre: dilmachuvasRio Grande do Sul

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas