'Não tenho dúvida do envolvimento do pai, da madrasta e da amiga', diz delegada

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Delegada que investiga desaparecimento e morte de menino de 11 anos no Rio Grande do Sul comentou a prisão dos suspeitos

A delegada da Polícia Civil de Três Passos Caroline Machado, responsável pela investigação da morte de Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, afirmou nesta terça-feira (15) que a polícia está convicta do envolvimento do pai, da madrasta e de uma amiga dela na morte do menino.

O caso: Polícia apura se menino foi morto por injeção letal; pai e madrasta são presos

Divulgação
O menino, morador de Três Passos, estava desaparecido havia 10 dias

O corpo de Bernardo, que estava desaparecido havia 10 dias, foi encontrado em uma área de mata na cidade de Frederico Westphalen, cidade cerca de 80 quilômetros distante, na noite desta segunda-feira (14). 

"Não tenho dúvida do envolvimento do pai, da madrasta e da amiga, mas precisamos identificar o que cada um fez para a condenação", afirmou a delegada em entrevista coletiva.

O três suspeitos, o pai - o médico Leandro Boldrini, a madrasta - a enfermeira Graciele Boldrini - e uma amiga, que não teve o nome confirmado, cumprem prisão preventiva de 30 dias.

Reprodução/Facebook
O casal preso suspeito pela morte do menino

Sobre a possibilidade de que o menino tenha morrido vítima de uma injeção letal, a polícia aifirma que só a perícia feita no corpo porderá comprovar a suspeita.

O velório de Bernardo ocorre nesta terça-feira (15) no ginásio de esportes do Colégio Ipiranga, em Tres Passos, onde o garoto estudava. O sepultamento deve ser em Santa Maria, cidade de parentes da mãe do menino, que morreu vítima de um suicídio.

O caso

O corpo de Bernardo, que estava desaparecido havia 10 dias, foi encontrado em uma área de mata na cidade de Frederico Westphalen, na segunda-feira (14). Ele estava sumido desde a última semana, quando teria saído de casa para ir dormir na casa de um amigo, onde nunca chegou.

No dia que Bernardo sumiu, a madrasta foi multada por excesso de velocidade em uma rodovia de Frederico Westphalen, local onde o corpo foi encontrado.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas