Sob chuva, 10 mil protestam em Porto Alegre, mas ato acaba em conflito

Por Agência Estado | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Público corresponde a menos da metade do que foi às ruas na quinta-feira (20) quando as condições climáticas também eram adversas, com chuva e frio na capital gaúcha

Agência Estado

Luciano Leon/Futura Press
Protesto contra corrupção e a falta de investimento no Brasil realizada no centro de Porto Alegre (RS)






A manifestação pela redução das tarifas do transporte público terminou com novos conflitos entre soldados da Brigada Militar e participantes do protesto na noite desta segunda-feira (24), em Porto Alegre. Houve depredações de equipamentos públicos como contêineres de lixo, placas de trânsito e semáforos e de fachadas de estabelecimentos comerciais, bancas de revistas, bares e automóveis - além de saques.

Pelo menos 50 pessoas foram detidas e quatro ficaram feridas sem gravidade. Como das vezes anteriores, o protesto começou na praça Montevidéu, diante da prefeitura, mas seguiu por roteiro diferente, pelas avenidas Mauá, João Goulart e Loureiro da Silva, que formam uma espécie de círculo sobre a área central.

O público foi estimado em 10 mil pessoas pela Brigada Militar e correspondeu à metade do que foi às ruas na quinta-feira. Quando a multidão saiu da Avenida Loureiro da Silva e tomou a Avenida Borges de Medeiros para retornar ao ponto inicial, um pequeno grupo desgarrou-se e foi para a Rua João Alfredo, no bairro Cidade Baixa, onde depredou automóveis, contêineres, grades e fachadas de edifícios comerciais e residenciais.

Após reunião com MPL, ministro admite transporte público 'deficiente'

O conflito estourou quando a passeata se aproximava da prefeitura. Segundo informações da Brigada Militar, um grupo tentou depredar uma loja da esquina da Rua dos Andradas com Avenida Borges de Medeiros e foi contido pela maioria. A tropa resolveu interferir e avançou. Alguns manifestantes mais exaltados dispararam rojões, enquanto os soldados lançaram bombas de gás lacrimogêneo.

Leia também:
A governadores e prefeitos, Dilma propõe ‘cinco pactos em favor do Brasil’
Plebiscito da reforma política incluirá pergunta sobre candidatos sem partido

Além de Porto Alegre, houve manifestações em pelo menos outros dez municípios gaúchos nesta segunda-feira. Em Canoas, na região metropolitana, os ativistas bloquearam os dois sentidos da BR-116, provocando congestionamentos durante quatro horas. Protestos semelhantes trancaram temporariamente a passagem de veículos em rodovias de Caxias do Sul, São Leopoldo e Campo Bom.

Leia tudo sobre: GERALRio Grande do SulPorto Alegremanifestaçãoprotesto

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas